Cidades da região não conseguiram preencher todas as vagas do Mais Médicos

São 18 vagas que seguem abertas em oito cidades da região

 

MAIS MÉDICOS

Cerca de uma em cada quatro vagas não foram preenchidas no edital do Mais Médicos em Santa Catarina após a saída dos profissionais cubanos. Após desistências e não comparecimento nos municípios, 61 das 258 vagas do Estado foram reabertas, o que representa 23,6% do total. No país, esse índice foi ainda maior: 28,7%. Das 8.517 vagas disponibilizadas, foram reabertas 2.448 em mais de 1,1 mil municípios.

 


 

Na região, das 13 vagas colocadas a disposição dos médicos brasileiros em Mafra, 10 foram preenchidas. Timbó Grande, Matos Costa, Lebon Régis e Calmon tem uma vaga cada que segue desocupada. Das 12 vagas colocadas em Caçador, só cinco foram preenchidas. Em Bela Vista do Toldo, as duas vagas seguem sem ocupação. Em Santa Cecília, das três vagas disponíveis, só uma foi preenchida. Itaiópolis (1), Porto União (2) e Papanduva (2) conseguiu preencher as vagas.

 

 

Os profissionais do Mais Médicos recebem bolsa-formação (atualmente no valor de R$ 11,8 mil) e uma ajuda de custo inicial entre R$ 10 e R$ 30 mil para deslocamento para o município de atuação. Além disso, todos têm a moradia e a alimentação custeadas pelas prefeituras.

 

 

SALÁRIOS

Na esteira da indignação pelo aumento da Cosip, internautas publicaram no Facebook prints das folhas de pagamento de servidores municipais em dezembro. Os valores somam salário mais 13º, o que dobra o valor.

 

 

SISTEMA PRISIONAL

A Secretaria de Justiça e Cidadania (SJC) lançou oficialmente a licitação para a construção da penitenciária industrial de São Bento do Sul. A estrutura terá 10,8 mil metros quadrados e espaço para 364 detentos. A obra será feita com recursos do Governo Federal.

 

 

 

BOAS NOVAS

Com o início de um novo ciclo de crescimento econômico que se desenha, a expectativa para o ano que vem é de que o saldo de novas lojas mais que dobre em relação ao resultado deste ano. Nos cálculos da Confederação Nacional do Comércio (CNC), entre aberturas e fechamentos, até 15 mil novos pontos de venda devem entrar em operação em 2019.  Supermercados e farmácias concentram as maiores expectativas.

 

Entre 2015 e 2017, no pico da crise, mais de 223 mil lojas fecharam as portas no varejo nacional, segundo a CNC. Neste ano, o saldo de lojas voltou a ser positivo, com 6 mil pontos de venda até outubro.

 

 



R$ 52,1 BILHÕES

é quanto se pagou este ano de gratificações além do salário para os servidores públicos federais

 

 

 

 

“‘Bolsonaro ganhou, agora vou comprar uma arma’. Eu digo: ‘Vai comprar uma arma para quê? Para matar tua mulher numa discussão ou para teu filho se matar numa crise de depressão?’ Porque para enfrentar bandido é que não é”

do ex-líder do Bope, Rodrigo Pimentel, se referindo a moradores de cidades com baixos índices de criminalidade, como é o caso de Canoinhas e região. Pimentel apoia Jair Bolsonaro, entusiasta do relaxamento da venda de armas

 

 

CONCENTRAÇÃO

O Brasil tem hoje 6,5 milhões de servidores públicos nos municípios. Em 1995 tinha 2,4 milhões. Foi o maior crescimento se comparado aos quadros estaduais e federal.

 

 

REAÇÃO

Tijolo por tijolo, Santa Catarina está reedificando a construção civil. O mês de outubro marcou o maior nível de atividade estadual do setor desde agosto de 2014. O índice que compara a operação catarinense com o mês anterior também alcançou a maior número desde maio de 2014. São os primeiros indícios de que o Estado está voltando ao panorama pré-crise.

 

 

 

Na comparação entre as pesquisas do Observatório da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Santa Catarina aparece com indicadores superiores à média brasileira. As instituições utilizam metodologias semelhantes para elaborar relatórios mensais sobre a atividade e o nível de confiança da construção civil.

 

 

 

TRANSPARÊNCIA

Santa Catarina ficou em quarto lugar no Índice de Transparência de 2014 dos Estados brasileiros, divulgado pela Associação Contas Abertas. Nesta edição, o Estado ganhou quatro posições em relação à última avaliação em 2012, na qual ficou na oitava posição.

 

Deixe seu comentário: