Acidente: carga de biodiesel vaza e atinge curso que deságua no rio Canoinhas


Divulgação/Bombeiros

Caso contaminação se confirme, pode prejudicar a captação de água de Major Vieira e Canoinhas

 

 

O acidente que ocorreu na tarde desta quinta-feira, 25, com um caminhão que tombou no quilômetro 107 da Serra do Espigão, na BR-116, em Monte Castelo, fez com que parte da carga de biodiesel vazasse, atingindo um curso d’água que deságua no rio Canoinhas. Segundo o relatório da Defesa Civil, caso essa situação se confirme, poderá vir a prejudicar a captação de água dos municípios de Major Vieira e Canoinhas.

 

 

 

A ocorrência foi atendida pelos bombeiros de Santa Cecília. De acordo com o relatório dos bombeiros, o caminhão bitrem que seguia de Lagoa Vermelha (RS) para Cubatão (SP), estava carregado com 43 mil litros de biodiesel de soja (ONU 3082), e perdeu o controle da direção enquanto descia a Serra do Espigão.

 

 

 

Quando os bombeiros chegaram no local, a Autopista Planalto Sul já havia feito a sinalização e o isolamento do local e já havia prestado os primeiro atendimentos ao motorista. Ele encontrava-se fora do veículo, consciente e orientado.

 

 

 

Os bombeiros de Santa Cecília fizeram o dimensionamento da cena e confirmaram que a carga do caminhão tratava-se de Biodiesel B 100, classe de risco 9, e número da ONU (número de identificação de risco) 3082.

 

Os bombeiros utilizaram o manual da Abiquim, específico para atendimento a emergências com produtos químicos no transporte terrestre.

 

 

 

 

Seguindo o manual, os socorristas identificaram que o produto tinha baixa probabilidade de inflamabilidade e as medidas de segurança que deveriam ser tomadas, sendo elas o isolamento e a contenção do vazamento.

 

 

 

Havia dois tanques que juntos somavam 43 mil litros do produto.

 

 

 

 

As equipes conseguiram estancar parcialmente o vazamento de um dos tanques, porém, o vazamento do segundo tanque ficava em local inacessível, não possibilitando o estancamento. Segundo os bombeiros, somando o que vazou dos dois tanques, mais de 35 mil litros do produto escoaram para o meio ambiente.

 

 

Os bombeiros também auxiliaram no destombamento da carreta e limparam a pista para que a rodovia fosse liberada.

 

 

 

Estiveram em apoio na ocorrência, a Autopista Planalto Sul, Defesa Civil de Monte Castelo, Defesa Civil Regional de Canoinhas, Polícia Rodoviária Federal, Instituto do Meio Ambiente (IMA) e o tenente Modolon, do Corpo de Bombeiros de Canoinhas.

 

 

 

Após o atendimento o local ficou aos cuidados da Defesa Civil, órgãos de Meio Ambiente a Autopista, que avaliam os impactos ambientais que o derramamento do produto irá gerar.

 

 

 

Os responsáveis pela Casan dos dois municípios, além dos representantes do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do rio Canoinhas e afluentes do rio Negro foram comunicados e estão definindo as melhores estratégias para minimização dos impactos à população local.





Deixe seu comentário: