Cápsula do tempo marca 80 anos do Cedup Vidal Ramos, de Canoinhas

Fotos: Divulgação

Um dos mais tradicionais estabelecimentos de ensino da região, Colégio Agrícola recebe alunos de várias cidades

 

Cristina Brandes Grosskopf*

 

 

O Centro de Educação Profissional “Vidal Ramos” (Cedup) acaba de completar oito décadas de existência. Fundado em 1939, situa-se no distrito de Marcílio Dias, em Canoinhas, em uma área de 604.928,10 metros quadrados. Iniciou suas atividades em 1941 como Instituto Agronômico.  Em 1974 foi autorizado o funcionamento do 2º Grau (hoje Ensino Médio), com a habilitação Técnico em Agropecuária e, em 1976, foi transformado em Colégio Agrícola.

 

Em 1983, foi constituída a Cooperativa dos Alunos (Coopesa), que funciona em nível administrativo, tendo como objetivo principal educar os alunos dentro dos princípios cooperativistas. 

 

 

A partir de 5 de abril de 2000, o Colégio Agrícola passou a denominar-se Centro de Educação Profissional “Vidal Ramos”.

 

 

 

 A Instituição é um centro de educação profissional voltado para a formação na área primária da economia, habilitando no eixo temático recursos naturais – Técnico em Agropecuária – concomitante com o Ensino Médio.

 

 

Atualmente o Colégio possui 269 alunos matriculados, disponibilizando aos estudantes de nível médio regime de internato para rapazes e semi-internato para ambos os sexos. Sua clientela é formada por alunos de diversos municípios de Santa Catarina e também de outros estados. 

 

 

 

DISSEMINADOR DE CONHECIMENTO

O educandário desenvolve o conhecimento técnico pedagógico nas atividades teórico-práticas que complementam as competências e habilidades, enaltecendo a missão: “Educar qualificando tecnicamente para o mundo do trabalho, visando à formação do cidadão com conhecimento generalista, empreendedor, participativo, ético, transformador e humanitário.” 

 

 

A área profissionalizante desenvolve atividades nos setores de produção que estão distribuídos nos projetos de agricultura, avicultura, bovinocultura, fruticultura, horticultura, indústrias rurais, silvicultura e suinocultura, oportunizando a relação teoria e prática, evidenciando o lema “Aprender a Fazer, Fazendo”. 

 

 

 

INOVAÇÃO

O Cedup Vidal Ramos busca integrar métodos educacionais inovadores. O conhecimento historicamente construído é referência para entender e interagir na transformação da sociedade, possibilitando a inclusão social, com visão voltada para a sustentabilidade e comprometimento com o Meio Ambiente. 

 

 

Estimula o esporte no contexto recreativo, educacional e competitivo, reconhecendo-o como um fenômeno sociocultural de múltiplas possibilidades relacionados à socialização, construção de valores morais e éticos, bem como à recreação e lazer, de suma importância para o desenvolvimento integral de adolescentes e jovens.

 

 

 

HOMENAGEM

Em comemoração aos 80 anos do Cedup os alunos da 1° série desenvolveram juntamente com o professor Vinícius Silva da disciplina de História, e Simone Calixto Léria Stafim, professora de Geografia, uma cápsula do tempo, que foi enterrada no dia do aniversário do Cedup: 24 de outubro. A cápsula contém um pendrive com vídeos dos professores mais antigos e dos alunos da 3° série falando sobre a escola, além de vídeos e fotos da turma idealizadora do projeto Cápsula do Tempo. Possui também na cápsula uma camisa de uniforme e uma foto do colégio, ambas com a assinatura de todos os alunos. Um texto sobre a agricultura que se pratica hoje na região, reportagens sobre diversos assuntos da atualidade e uma carta para ser lida no dia em que a cápsula for desenterrada, data prevista para o centenário da escola daqui a 20 anos.

 

Esta atividade teve como objetivo principal evidenciar a importância do atual período histórico para as sociedades futuras, pontuando características sociais políticas e geográficas do momento atual. 

 

 

 

Conforme o professor Vinícius, “vivemos em uma sociedade em que os valores não são mais sólidos e sim líquidos. Os valores sólidos seriam os valores concretos em que sua solidez se materializaria através de fotografias, cartas e registros de determinada época. Já os líquidos são os valores que se dissolvem entre os dedos, como por exemplo, as redes sociais, fotografias não impressas, fazendo com que se perca com o tempo a herança histórica deixada pelas gerações, sendo considerado algo negativo para a sociedade em geral que está perdendo sua identidade”. 

 

 

 

No dia 24 também foi apresentado o projeto de resgate histórico do distrito de Marcílio Dias, realizado pelos mesmos alunos e professores responsáveis pela cápsula do tempo, mostrando a modificação do vestiário, mecanização e cultura com o passar do tempo, fazendo com que os alunos pudessem perceber a intenção com o projeto cápsula do tempo.

 

 

 

 

Na sequência aconteceu um almoço festivo para alunos, professores e funcionários da escola.

 

*Cristina Brandes Grosskopf é bióloga e professora do Cedup Vidal Ramos




Deixe seu comentário: