segunda-feira, 16

de

maio

de

2022

ACESSE NO 

Canoinhas: Menina de 13 anos que teve vestes trocadas não foi violentada

Últimas Notícias

- Ads -

Exame do IGP de Mafra não detectou nenhum tipo de violência sexual

Foi descartada a hipótese de que uma menina de 13 anos, moradora do bairro Piedade, em Canoinhas, tenha sido estuprada. Ela apareceu em casa na noite de domingo, 17, com sinais de embriaguez e com as vestes trocadas. Temendo que a filha tivesse sido violentada, a mãe acionou a Polícia Militar. Ela relatou ainda que sua filha foi deixada em casa por uma jovem com 24 anos e um menino com 12 anos.

Ainda na noite de domingo, a família foi até a Delegacia de Canoinhas e a adolescente foi submetida a um exame de corpo de delito pelo perito do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Mafra, que estava de plantão no final de semana.

Segundo o delegado da comarca de Canoinhas, Rui Orestes Kuchnir, de acordo com o exame, não foi constatado nenhum tipo de violência sexual. “Só estavam com medo que a mãe brigasse com a menina. Deram um banho nela e quiseram entregar ela sã”, afirmou.

No domingo, quando a Polícia Militar chegou na casa da adolescente, a menina conversou com os policiais, porém, de acordo com o boletim de ocorrência, estava nervosa e omitindo informações, relatando que saiu para ir ao mercado, que foi ao Parque de Exposições Ouro Verde e que não se lembra de mais nada.

A PM foi até a casa da jovem que deixou a menina em casa. Ela relatou que um amigo com 19 anos fez contato com ela pelo WhatsApp pedindo ajuda para ir dar banho e trocar as roupas da menina porque ela estava embriagada e com as vestes sujas, então ela foi até a residência onde estava o jovem e o menino, relatou que deu banho na menina, que trocou as suas roupas e a deixou dormindo. Depois, a menina acordou e ela a convenceu a voltar para casa.

O Conselho Tutelar foi acionado e ouviu o relato da PM e dos envolvidos. Assim, a conselheira decidiu levar a menina para o Hospital Santa Cruz de Canoinhas para realizar o protocolo médico para casos de estupro. A mãe da menina foi junto com o Conselho Tutelar para o Hospital.