sexta-feira, 21

de

janeiro

de

2022

ACESSE NO 

Canoinhas já movimentou R$ 260 milhões com operações via PIX

Últimas Notícias

- Ads -

No total, Planalto Norte movimentou quase R$ 1 bilhão com a nova modalidade de pagamentos

 O Planalto Norte catarinense já movimentou perto de R$ 1 bilhão em operações financeiras via PIX, modalidade de pagamentos regulada pelo Banco Central que entrou em vigor em novembro do ano passado. Canoinhas já movimentou R$ 260 milhões por meio desta modalidade. Foram 324.347 operações realizadas.

Os dados abarcam o período de novembro de 2020 a junho deste ano e foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação pela Agência Fiquem Sabendo.

Santa Catarina movimentou R$ 83,5 bilhões em transferências por PIX. Os catarinenses aparecem na sexta colocação no ranking de Estados com maior movimentação de valores, atrás de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

 As estatísticas mostram ainda que Santa Catarina está na 11ª colocação entre os Estados com maior número de transações realizadas por PIX, com 73,7 milhões de novembro até junho.

Com isso, Santa Catarina tem um valor médio de R$ 1.132,34 por transação de PIX no período entre novembro e junho. Isso coloca o Estado na liderança no país, a frente de Paraná, com R$ 1.110,49, e Rio Grande do Sul, com R$ 931,62.



COMO FUNCIONA O PIX

O novo sistema de pagamentos e transferências instantâneas foi lançado em novembro do ano e totalmente gratuito para pessoas físicas. Ele funciona de forma parecida com as transferências DOC e TED, mas permite acesso mais simples do que os serviços que existiam até então.

Outra diferença fundamental é que o dinheiro passa do pagador ao recebedor de forma praticamente imediata. O sistema não tem restrições, podendo ser acessado a qualquer hora ou dia da semana.

O PIX ainda ganha velocidade porque não é necessário informar todos os dados do beneficiário. Os usuários do serviço podem cadastrar de uma até cinco chaves associadas a uma conta bancária. Com a chave é possível localizar o destinatário do pagamento sem outros dados de identificação.

Poderão ser usados como chave o CPF, o CNPJ, o número do celular, o endereço de correio eletrônico (e-mail) ou um código de 32 dígitos gerado especificamente para o PIX (EVP). Basta informar a chave do beneficiário para que o sistema localize o recebedor do pagamento e realize a transação.