Canoinhas está sem farmácia com plantão da meia-noite às 6 horas


Divulgação

Lei que regulamenta rodízio deve ser apreciada pela Câmara de Vereadores nos próximos dias

 

Quem precisar de farmácia durante a madrugada não tem a quem recorrer em Canoinhas. No dia 30 de setembro, o Município informou que Canoinhas teria farmácia com atendimento da meia-noite às 6h. A Rede Hiperfarma atenderia em regime de plantão neste horário. Com a decisão da Farmácia Vital de suspender o atendimento durante a madrugada, a Secretaria de Saúde de Canoinhas convocou, por meio da Vigilância Sanitária, representantes de todas as farmácias da cidade para deliberarem sobre o atendimento ininterrupto à população. Lei federal determina o funcionamento de farmácias, em sistema de rodízio, para que o atendimento seja garantido, mesmo que em regime de plantão, 24 horas por dia.

 

 

 

Atualmente as farmácias e drogarias trabalham em horários diversos, porém não garantem cobertura 24h por dia, inclusive sábados, domingos e feriados. 

 

 

 

A Rede Hiperfarma, no entanto, declinou da iniciativa de trabalhar em regime de plantão 24 horas e passou a abrir das 6 da manhã até meia-noite. 

 

 

 

PROJETO DE LEI

Agora, o Município aguarda que a Câmara de Vereadores aprove projeto de lei que estabelece como horário permitido de 24 horas de segunda a domingo, incluindo feriados, para o funcionamento normal das farmácias e drogarias de Canoinhas.

 

 

 

Pelo projeto, o Município observará o horário de funcionamento das farmácias, situadas no centro da cidade, e então estabelecerá o horário de plantão de cada uma delas em sistema de rodízio. Ainda de acordo com o projeto, todas as farmácias de Canoinhas integradas ao sistema ficam obrigadas a divulgar a farmácia de plantão, mediante placa contendo nome, endereço e telefone, que será afixada em local de fácil visualização.

 

 

 

“Importante salientar que temos uma farmácia privada (Hiperfarma) que abre 6 da manhã e fecha meia-noite, então quem tiver uma emergência neste horário tem garantia de atendimento. Essas pessoas ficam sem suporte por poucas horas. Para situações emergenciais temos medicamentos na UPA e Maternidade, através do SUS, então para aliviar a dor, os pacientes são medicados e só liberados quando a situação se estabiliza”, frisa Zenici. Ela  destaca, no entanto, que o sistema de rodízio 24 horas deve ser definido nos próximos dias.





Deixe seu comentário: