Candidato a prefeito de Irineópolis desiste da disputa eleitoral


Convenção do PL que havia oficializado a candidatura de Paulo Schiessl/Arquivo

Paulo Schiessl, do PL, desistiu por motivos de saúde

 

 

 

DESISTIU

O candidato a prefeito de Irineópolis, Paulo Schiessl, do PL, desistiu da sua candidatura por motivos de saúde. Seu candidato a vice Junior Paproski optou por ser candidato a vereador.

 

 

 

 

Dessa forma, Irineópolis terá dois candidatos a prefeito: Lademir Arcari, do PSDB, e Wanderlei Lezan, do MDB.

 

 

 

 

Segundo o presidente do PL, Celso Wille, os candidatos estão livres para apoiar qualquer um dos candidatos a prefeito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PSB

O presidente do PSB de Canoinhas contestou nota da coluna de ontem: “O PSB de Canoinhas discorda do posicionamento do colunista quando esse afirma que o partido tende a ser extinto em Canoinhas.  O PSB passa por um processo de renovação na cidade e nacionalmente tem se transformado para atender as novas demandas do Brasil, não é por acaso que possui o mesmo número de deputados do PSDB e 5 a menos que o MDB. Em Canoinhas o partido optou pela unificação da oposição, retirando a pré-candidatura de Paulo Machado. O PSB vêm contribuindo com o processo de elaboração da plataforma de governo da candidata Norma Pereira, apresentando diversas propostas para transformar a cidade.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEITURA

Prefeito Beto Passos (PSD) abriu uma sindicância para verificar as irregularidades apontadas pela Controladoria Geral do Estado na prestação de contas relativa a aquisição de livros didáticos e material escolar comprados com dinheiro enviado pelo Governo do Estado em 2017.

 

 

 

A Comissão nomeada por Portaria deverá emitir parecer conclusivo no prazo de 60 dias, prorrogáveis por igual período se as circunstâncias o exigirem.

 

 

 

 

 

O assunto foi motivo de requerimento aprovado na Câmara de Vereadores na semana passada.

 

 

 

 

 

Vereador Paulinho Basilio (MDB) questionou a compra de livros ao custo de R$ 2,3 milhões por parte do Município. Ele apresentou respostas a requerimentos feitos a direção de escolas municipais afirmando que não houve doação de livros a alunos.

 

 

 

A Controladoria Geral do Estado recomendou o ressarcimento do valor de R$ 2,3 milhões em razão de irregularidades na prestação de contas referente aquisição de livros infantis.

 

 

 

 

 

O ex-secretário de Educação, Osmar Oleskoviz, que comandava a pasta à época, diz que o dinheiro foi liberado pelo Governo do Estado, foi feita a compra via licitação e os livros foram entregues sem qualquer irregularidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PELA SEGURANÇA

O número de agentes de segurança que registraram candidatura para um dos cargos de prefeito e vereador pelo país cresceu 12,2% desde a última eleição municipal, em 2016. Com base em dados divulgados pela Justiça Eleitoral, o jornal O Globo identificou que policiais militares, civis, bombeiros, membros das Forças Armadas e militares reformados saltaram de 5.991 para 6.720. Os candidatos que se licenciaram do Exército, Marinha e Aeronáutica representam um aumento ainda maior desde a eleição passada. Houve um crescimento de 44% de registros de candidaturas. Esta será a primeira eleição após a vitória de Jair Bolsonaro, que foi acompanhada de uma eleição recorde de agentes de segurança para cargos legislativos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PECULIARIDADES

Três Barras também tem seus nomes peculiares na disputa pela Câmara de Vereadores neste ano: vai de Jesus (sim, ele voltou) a Filho da Irmã, Porcão, Boca, Global, Seco e Bolacha.

 

 

 

 

 

 

 

VOLTANDO AO NORMAL

As cadeiras que haviam substituído os bancos da Igreja Matriz Cristo Rei foram retirados e, em breve, os bancos serão recolocados para receber fiéis.

 

 

 

 

 

 

 

 

GASTOS

Legenda com grande número de empresários e profissionais liberais, o Novo se destaca no ranking dos candidatos que mais investem nas próprias campanhas. O líder é o médico Dr. João Guilherme, candidato a prefeito de Curitiba, que já gastou R$ 445 mil do patrimônio. Há outros três nomes do partido no top 10, em Vila Velha, Porto Alegre e Cuiabá.

 

 

 

 

O Novo também se sai bem nas doações de pessoas físicas: 4 dos 10 maiores contribuintes até agora listados pelo TSE escolheram nomes do partido. O mais generoso é Eugênio Mattar, irmão do ex-secretário de Desestatização, Salim Mattar, que deu R$ 550 mil para dois candidatos em Belo Horizonte. Os dados são da coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Vamos combater as milícias do ódio e as fake news”

promessa do presidente do Tribunal Superior Eleitoral Luís Roberto Barroso





Deixe seu comentário: