Campanha contra a gripe vacinou 52% dos catarinenses de grupos prioritários

Mauricio Vieira/ Secom

Balanço foi divulgado nesta terça-feira, 14,  pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina

 

 

O prazo final da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe é 31 de maio. Até lá, Santa Catarina precisa alcançar uma cobertura vacinal de, ao menos, 90% dos grupos prioritários, segundo meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. No entanto, de acordo com o balanço divulgado nesta terça-feira, 14,  pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde Santa Catarina, apenas 52,48% das pessoas que fazem parte do público-alvo procuraram as unidades de saúde para tomar a vacina.


 

 

De acordo com a gerente de imunização da DIVE/SC, Lia Quaresma Coimbra, com a queda nas temperaturas, a preocupação aumenta, principalmente entre as pessoas que fazem parte dos grupos de risco como crianças, idosos, gestantes. Por isso, a importância da imunização. “O vírus da gripe circula o ano todo, mas a transmissão é maior do inverno, quando as pessoas buscam se abrigar do frio em ambientes fechados. A vacina é capaz de promover imunidade durante todo esse período de maior circulação dos vírus, reduzindo o agravamento”, explica a gerente.

 

 

Em Santa Catarina, fazem parte dos grupos prioritários pouco mais de 2 milhões de pessoas (2.000.034).

 

 

COBERTURA VACINAL POR GRUPO:
– crianças (6 meses a menores de 6 anos): 50,68%
– gestantes: 49,73%
– trabalhadores da saúde: 42,35%
– mães até 45 dias após o parto: 68,44%
– povos indígenas: 65,71%
– idosos com 60 anos ou mais de idade: 66,23%
– professores: 53,78%
– portadores doenças crônicas e condições especiais: 40,95%
– população privada de liberdade e funcionários: 19,65%
– funcionários do sistema prisional: 24,18%
– profissionais das forças de segurança e salvamento: 21,43%

 



 

GRIPE EM SANTA CATARINA
De acordo com o último boletim da DIVE/SC, do início do ano até 10 de maio de 2019 foram confirmados 32 casos de influenza em Santa Catarina, sendo 26 pelo vírus A (H1N1) e 6 pelo vírus A (H3N2). Os municípios que apresentaram ocorrências confirmadas foram: Blumenau com 6 casos; Florianópolis, com 4 casos; Chapecó, Itajaí e Joinville, com 3 casos cada; Jaraguá do Sul e Tubarão, com 2 casos cada; Braço do Norte, Brusque, Camboriú, Criciúma, Lages, Maravilha, Palhoça, Pomerode e São José, com 1 caso cada.
Dos 32 casos de influenza, 22 apresentaram algum fator de risco associado, dos quais 10 eram idosos (acima de 60 anos); 2 crianças menores de 2 anos; 1 obeso e 9 eram portadores de doenças crônicas.

 

 

Três pessoas morreram, todas pelo vírus A (H1N1). Um homem, de 52 anos, morador de Tubarão; uma mulher, de 79 anos, moradora de Blumenau; e uma mulher, de 48 anos, moradora de Jaraguá do Sul. Os três apresentaram algum fator de risco para o agravamento da doença.

 

 

CUIDADOS E PREVENÇÃO
Além da vacina, é recomendado adotar algumas medidas de prevenção para evitar a gripe: higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar; a higienização também é importante depois de usar o banheiro; antes das refeições; antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimão, bancos, maçanetas etc), além de manter hábitos de alimentação saudáveis, com ingestão de líquidos e realização de atividades físicas.

 

Pessoas com influenza devem evitar contato com outras pessoas. Em caso de suspeita, o paciente deve procurar atendimento médico o mais rápido possível. O tratamento precoce com Oseltamivir (Tamiflu) reduz tanto os sintomas quanto a ocorrência de complicações da influenza e está disponível em todas as unidades de saúde e hospitais de Santa Catarina.

 

Saiba mais em: www.gripe.sc.gov.br

Deixe seu comentário: