sexta-feira, 17

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Bridgerton é diversão certa para tempos difíceis

Últimas Notícias

- Ads -

Até mesmo o onipresente tema do racismo é tratado com leveza 

 

 

BRIDGERTON

Só no quarto episódio os espectadores da agradável Bridgerton, a série do momento disponível na Netflix, encontram a resposta para uma intrigante pergunta: por que a rainha da Inglaterra é interpretada por uma negra? A coletânea de livros que deu origem a série retrata uma corte absolutamente branca, como de fato era no século 19. A adaptação para as telas se deparou com a necessidade de se abordar de uma forma ou de outra o racismo. Poderia tê-lo feito pelo viés da escravidão, ainda plenamente aceita à época, mas não, a produtora Shonda Rhimes (de Greys Anatomy), em sua estreia na gigante do streaming, decidiu dar um enfoque bem diferente ao assunto e acertou na mosca.

 

 

 

 

Foi dessa forma que ela descobriu a beldade Regé-Jean Page, um duque negro que herdou o título do pai carrasco, ausente e irascível. O casamento do rei da Inglaterra com uma negra teria aberto a corte aos negros e permitido que Simon, personagem de Regé, se tornasse um garboso conde.

 

 

 

 

Este preâmbulo passa longe do protagonismo na série e aí reside sua graça. Ao combater o racismo colocando negros no time de protagonistas de uma série ambientada na corte inglesa no século 18, algo que poderia soar impossível há bem pouco tempo, mostra que estamos evoluindo nessa necessária discussão: não há problematização do tema, o negro está lá, em um personagem que poderia ser branco. Esse é só um dos bons motivos para você ver Bridgerton.

 

 

 

 

Em tempos de pandemia, polarização política e muito ódio, a série serve com um bálsamo de leveza que explode em nossos olhos em cores chamativas, em cenários deslumbrantes e personagens cativantes. Gol de placa o nascimento de um galã (Regé)  e de uma doce heroína (Phoebe Dynevor) que demonstram química ao protagonizar a trama.

 

 

 

 

Bridgerton é o sobrenome de uma nobre família de oito irmãos que transita em mais uma temporada de bailes pela corte inglesa. A bola da vez é Daphne, a filha mais velha em busca de um casamento que garanta, sobretudo, o status da família. O amor não nasce a primeira vista com o duque Simon. Entre idas e vindas, há um fantasma do passado que vai complicar esse romance.

 

 

 

 

Pelas belas imagens, cenários e figurinos impecáveis e elenco afinadissimo, Bridgerton é divertida, inspiradora e uma atração mais que indicada para quem quer fugir do noticiário pesado do presente.