Brasil passa da marca de 4 mil mortos em um só dia por covid e novo chefe da Polícia Federal em destaque nesta quarta-feira


Mazur / cbcew.org.uk

7 de abril de 2021

 

O Globo

Com 4.211 mortes, Brasil dobra recorde diário de óbitos em um mês

O Brasil teve hoje pela primeira vez desde o início da pandemia o registro de mais de 4.000 mortes por Covid-19 em um período de 24 horas. Num cenário ainda de agravamento da mortalidade pela doença, os números de óbito não dão sinal de arrefecimento ainda.

A marca dos quatro milhares foi atingida só duas semanas depois de o Brasil ter visto mais de 3.000 por Covid-19 em um único dia, o que também ocorreu só 13 dias depois do registro inédito de 2.000 mortes.

Após registrar 4.211 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, o Brasil acumula 337.364 óbitos pela doença até esta terça-feira (06). Os dados foram reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa formado por EXTRA, O Globo, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que compila informações divulgadas pelas secretarias estaduais de Saúde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Fome dispara, mas doações despencam
  • Câmara aprova compra privada de vacina sem doação integral ao SUS
  • Delegado de perfil ‘político’ assume PF
  • Novo chanceler vê urgência climática e prega diplomacia sem ‘exclusões e preferências’
  • Orçamento: MP quer que TCU alerte presidente sobre risco de crime fiscal
  • Cedae desliga Guandu para conter geosmina, e falta d’água ameaça Rio e Baixada
  • Escolas municipais abrem hoje; na rede privada, volta será decidida pelas unidades

 

 

 

 

 

 

 

O Estado de S. Paulo

País tem 4,2 mil mortes em 24h e contágio em alta indica piora

Com 4.211 registros de óbitos por covid-19, o Brasil ultrapassou ontem, pela primeira vez, a marca de 4 mil mortes pelo novo coronavírus em 24 horas. Com o aumento de infecções, novas variantes do vírus e vacinação lenta, a crise sanitária deve piorar antes de dar trégua. Segundo especialistas, o País pode chegar em breve a 5 mil mortes por dia. Em março, pior mês da pandemia, a média diária foi de 2.147. Nos EUA, a média foi de 1.223 no mesmo período. Grande parte dos especialistas defende lockdown para conter o avanço do vírus, mas a restrição mais severa só foi adotada por algumas cidades, como Araraquara (SP), que viu redução significativa de casos. Domingos Alves, epidemiologista da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, prevê o agravamento da crise. Segundo ele, o Brasil pode chegar a 100 mil infecções diárias. Há 32 dias consecutivos, o País registra mais de 60 mil novos diagnósticos diários de covid, maior patamar da pandemia.

 

 

 

 

 

  • Parcerias contra crise rompem diferenças política
  • Vacina para o setor privado
  • Novo ministro da Justiça troca chefia da PF
  • Corte de jornada e salário deve ser votado no Senado
  • Brasil na Forbe – O time de novos bilionários

 

 

 

 

 

 

Folha de S. Paulo

Brasil ultrapassa pela primeira vez 4.000 mortos por Covid em um dia

O Brasil registrou mais de 4.000 mortes decorrentes da Covid em um só dia pela primeira vez na pandemia.

Sinal do avanço descontrolado da doença, ao qual o país assiste inerte, a marca foi cruzada nesta terça (6) apenas 14 dias após o registro de 3.000 mortos em 24 horas e 27 dias depois da marca 2.000 óbitos no mesmo intervalo. Entre os países com registros regulares, apenas os Estados Unidos, com população 56% maior, superaram esse recorde diário.

Em um único dia, o Brasil registrou 4.211 mortes, segundo dados do consórcio de veículos de imprensa integrado por Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, G1, O Globo e Extra. É mais do que o número de óbitos somado nos primeiros dois meses da pandemia: do primeiro caso confirmado, em 25 de fevereiro de 2020, até 25 de abril daquele ano, foram registradas 4.066 mortes decorrentes da doença.

Mais sintomático, 4.000 mortes significam as perdas que países inteiros tiveram até o momento na pandemia. O Paraguai, por exemplo, registrou 4.463 mortos pela Covid ao todo —o suficiente para que a população tomasse as ruas em protestos contra a atuação do governo na pandemia e pedisse a renúncia do presidente Mario Abdo Benítez.

 

 

 

 

 

 

  • Estudo atesta em Manaus eficiência da Coronavac
  • Médicos divergem de prefeito pró-cloroquina em SC
  • Tem igreja que só liga para o dízimo, declara pastor
  • Araraquara registra dois dias sem óbitos por vírus após dois meses
  • Marca de vítimas riscaria cidade do mapa
  • Coordenador de agência europeia vê elo entre Oxford e trombose
  • Escolhido como diretor provoca decepção na PF
  • Polícia tem que garantir ir e vir, diz novo ministro
  • Torres tenta evitar rompimento com a bancada da bala
  • Para liberar redução salarial, governo propõe alterar LDO
  • Defesa de Jairinho pede anulação de apreensões
  • Iphan vive sua paralisia mais longa em 65 anos
  • FMI melhora projeção de crescimento do Brasil





Deixe seu comentário: