Brasil atinge 20 mil mortos por covid-19, acerto entre Bolsonaro e governadores e conquista do Einstein em destaque nesta sexta


Capa do jornal O Globo de hoje/Reprodução

22 de maio de 2020

 

Folha de S.Paulo

Veto pedido por Guedes cria novo impasse com estados

Um novo embate surgiu entre governadores e o Ministério da Economia na discussão sobre o plano de socorro financeiro aos estados e municípios por causa da crise causada pelo novo coronavírus.

Os governadores resistem em perder repasse do FPE (fundo pelo qual o Tesouro transfere dinheiro para os estados) em troca de a União pagar dívidas com bancos internacionais.

A equipe econômica defende que, mesmo na pandemia, essa regra não mude: se um estado deixar de pagar um banco multilateral, como o Banco Mundial, o Tesouro cobre as parcelas, mas, como contrapartida, retém uma parte dos repasses via FPE.

Um trecho aprovado no plano de auxílio financeiro aos governadores e prefeitos permite que os gestores não tenham prejuízo caso suspendam o pagamento das dívidas com organismos multilaterais. Guedes quer que isso seja vetado.

 

 

 

  • Empresários refutam papel de pressionar governadores
  • Supremo diz que ignorar ciência é erro grosseiro
  • Após recorde, total de mortes no país passa de 20 mil
  • Einstein cria teste para detectar vírus em larga escala
  • No extremo sul de SP, óbito cresce com fila e aglomeração
  • Oposição e 400 entidades se unem por impeachment

 

 

 

 

 

 

O Estado de S.Paulo

20.047 MORTES EM 66 DIAS

1.188 EM 24 HORAS

310.087 INFECTADOS

O Brasil superou ontem a marca de 20 mil mortos pelo novo coronavírus, depois de registrar o recorde de 1.188 mortes em 24 horas. Em apenas 12 dias, o País passou de 10 mil mortes para 20.047 e o número de casos de contaminação continua em curva ascendente. Desde o início da pandemia, 310.087 pessoas foram infectadas e o Brasil teve, num período de 24 horas, o maior crescimento de casos de covid-19 por milhão de habitantes. Hoje completa uma semana que o Ministério da Saúde está sem titular e não foram divulgados novos planos para conter a doença. Agora, a aceleração da epidemia ocorre na direção do interior do País, provocando alerta. Estudo da Fiocruz mostra que 7,8 milhões de brasileiros vivem em locais que exigem viagens de quatro horas até uma cidade que tenha hospitais com UTI, respiradores e equipes especializadas em doenças respiratórias.

  • Oposição se mobiliza por impeachment
  • STF indica limite à MP que isenta maus gestores
  • COI admite cancelar Jogos de Tóquio
  • Ações buscam saques no FGTS por ‘calamidade’

 

 

 

 

 

 

O Globo

20 MIL HISTÓRIAS

Mais 1.188 vidas de brasileiros foram perdidas em 24 horas devido à propagação da Covid-19. Com isso, o país passou a marca de 20 mil mortes causadas pelo coronavírus, uma tragédia que atravessa divisas e estratos sociais do país. Já são, também, mais de 300 mil infectados, o que leva o Brasil a se aproximar da Rússia, a segunda nação com mais contagiados. Para se ter ideia da progressão acentuada, o Brasil levou 68 dias para atingir os cem mil casos, mais 11 dias para os 200 mil, e agora foi necessária só uma semana para chegar à soma atual. O presidente Bolsonaro disse que o “pavor” das pessoas contribui para a letalidade. Ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello vai reforçar a rede hospitalar do interior, para onde se expande o vírus. A epidemia já matou 256 profissionais de saúde no Brasil.

 

 

 

  • STF limita MP que protege agentes públicos
  • Bolsonaro fecha acordo com governadores
  • Equipe do Einstein cria novo teste para coronavírus

 





Deixe seu comentário: