Beto Passos, a chave da cidade e as religiões


Reação popular a entrega da chave da cidade a evangélicos mostra estranho comportamento do eleitor

 

 

RELIGIÕES

Ato inédito pelo menos na cronologia mais recente dos prefeitos, Beto Passos (PSD) ampliou neste ano uma prática implementada por ele desde o primeiro ano de gestão. Em comemoração ao aniversário da cidade passou a entregar a simbólica “chave da cidade” para líderes religiosos.


 

 

 

Foram três eventos em três igrejas diferentes neste mês. A primeira entrega aconteceu na Igreja Matriz Cristo Rei, do rito católico. A entrega passou batido pela audiência do JMais, sem comentários na nossa página no Facebook.

 

 

 

O segundo ato aconteceu na Igreja Luterana. Na página do JMais no Facebook foram 13 curtidas, sem nenhum comentário.

 

 

 

 

Cinco dias depois, a entrega se deu na Igreja Assembleia de Deus. As reações foram a 164 na página do JMais no Facebook, com 50 comentários e 17 compartilhamentos. Entre os comentários, a maioria, criticando a relação entre política e religião. “Ainda bem que foi um culto de ação de graças pelo aniversário da nossa cidade e não foi um culto político”, provocou uma internauta. “Assembleia de Deus, Luterana, qual é a próxima??? Porrr favorrrr”, escreveu indignada outra mulher. “Nem disfarçam, não vão em centro budista porque aqui não tem!!! Rsrs”, disse outra. “Quem também saiu ganhando foi o chaveiro. Porque são tantas chaves. Que a campanha comece”, afirmou outro internauta. “Estado laico que diz? Só que não… daqui a pouco um símbolo de cada religião nas repartições públicas, isso não salva eleição”, provocou outra. “Como se todo canoinhense fosse evangélico”, arrematou outro.

 

 

 

A relação religião e política sempre foi um fetiche para os políticos, que veem nos templos potenciais comícios disfarçados de celebração religiosa – está aí Bolsonaro, peregrinando de templo em templo, que reforça isso. Até aí nenhuma novidade.

 

 

 

 

O que me chama a atenção é porque não houve reação a entrega das chaves nas igrejas católica e luterana. Seria o acúmulo de igrejas que provocou a indignação ou o fato de ser em uma igreja evangélica?

 

 

 

 

Bom, segundo o Censo 2010, 81% dos moradores de Canoinhas se declaram católicos. É uma imensa maioria que pode responder, em partes, ao meu questionamento.

 

 

 

 

Seria temerário atribuir a essa maioria determinado preconceito. Os ânimos dentro do cenário político estão exaltadíssimos, as pessoas estão fartas dos políticos e qualquer ato pré-eleitoral cheira a podre. Trata-se de um recado do eleitorado: quem tentar se valer das mesmas canastrices do passado para levar as prefeituras no ano que vem vai se dar mal. 

 

 

 

 

Mas o contexto é mais complexo, acredito. Nesse caso, parece que houve, mesmo que de forma velada, uma exposição de certa intolerância religiosa. Não esqueçamos que em 2000, Leoberto Weinert (MDB) perdeu votos às vésperas da eleição com a distribuição de panfletos apócrifos ligando o então candidato à maçonaria. De modo totalmente preconceituoso e ignorante, os panfletos ligavam a maçonaria ao satanismo, criticando Weinert por ao mesmo tempo em que serviria ao oculto comungaria na Igreja Católica. Weinert tem certeza de que os panfletos foram decisivos na eleição.

 

 

 

 

Não duvido. Como se vê, religiosidade sempre foi um tema sensível aos canoinhenses. 

 

 

 

 

 

 

DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA

A vitória alcançada por Célio Galeski (PL) nesta semana na questão do nome da escola da Barra Mansa mostra que depois de seis mandatos, o presidente da Câmara parece habilitado para um sétimo mandato.

 

 

Ao discursar disse que não sabe se vai disputar ano que vem. Puro jogo de cena. Se tem alguém que conhece o caminho das pedras de uma eleição proporcional é Galeski e a Barra Mansa é, desde sempre, seu ponto forte. Renovou isso, mais uma vez, na votação popular de quinta.

 

 

 

 

 

JOGO POLÍTICO

A saída de Sirineu Ratochinski do PSDB tem endereço certo. O ex-prefeito tem conversado com outro ex-prefeito de Monte Castelo, o emedebista Aldomir Roskamp, o Kibe, que deixou a prefeitura em 2017. A ideia dos dois é que um deles integre a cabeça de chapa.

 

 

 

 

 

ENROLADO

Dentro desse cenário é mais fácil que Ratochinski assuma a cabeça de chapa. Roskamp foi condenado em primeira instância por causa de R$ 3 milhões que foram entregues em 2009 pelo Ministério da Integração Nacional ao Município quando ele era prefeito para amenizar os efeitos de um temporal que ocorreu na cidade. Apuração constatou que os recursos não foram devidamente aplicados, com vários furos na prestação de contas. Roskamp está recorrendo ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF 4), o mesmo que confirmou condenação de primeira instância ao ex-presidente Lula no processo do triplex do Guarujá.

 

 

 

 

PL SE APROXIMANDO

O PL, antigo PR, de Canoinhas está se articulando para ser protagonista nas eleições do ano que vem. Com o iminente divórcio com o PSD, o partido articula uma aliança com MDB e PSDB. O PL quer Norma Pereira na cabeça de chapa com um vice do MDB. Difícil, no entanto, convencer o MDB de ser vice de alguém.

 

 

Na contramão, o PSD segue conversando com lideranças do MDB. Também propõe a vice de Beto Passos ao partido que governou Canoinhas por 12 anos.

 

 

 

 

 

 



 

 

RELAÇÕES CORTADAS

Clima tenso entre o prefeito Beto Passos e empreiteiro que se valeu dos últimos governos de Canoinhas fartamente.

 

 

 

 

ESCAPOU

Vereadores de Mafra arquivaram o pedido de impeachment do vereador Valdir Sokolski (PSB). 

 

 

 

Por nove a três, a maioria dos vereadores optou pelo não recebimento de uma denúncia feita por uma munícipe. A justificativa dos vereadores que votaram pelo arquivamento foi de esperar a conclusão do inquérito policial, da manifestação do Ministério Público e do judiciário. Já os favoráveis não viam necessidade de esperar as investigações mencionadas para manifestação do Poder Legislativo. Sokolski foi preso em flagrante por invasão de domicílio, ao cobrar, aos gritos, R$ 8 mil que teriam desaparecido de sua casa depois que duas moças fizeram uma faxina contratada por ele. Ele invadiu a casa das duas cobrando o valor. O dinheiro foi encontrado pouco depois dentro da casa do vereador, intacto.

 

 

 

 

 

 

LIBERADO

Depois de uma longa queda de braço, o Instituto do Meio Ambiente (IMA) liberou a obra de ampliação da Ervateira Yacuy, no bairro Industrial número 1. A licença foi publicada nesta sexta-feira, 27.

 

 

 

 

SANCIONADO

Prefeito Beto Passos sancionou a lei que permite o Município bancar a retirada de calçadas antigas da frente de imóveis do centro, desde que o morador se comprometa a instalar calçada no padrão definido pelo Município.

 

 

 

 

 

PRIVILÉGIO

A nova versão do Estatuto do Servidor, cuja segunda votação deve ocorrer nos próximos dias pela Câmara de Canoinhas, mantém um privilégio que só mesmo no serviço público se tem. “A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguido ao da eleição, o funcionário fará jus a licença como se em efetivo exercício estiver, percebendo o vencimento, mediante a comunicação por escrito, do afastamento.” Isso mesmo, o meu, o seu, o nosso bolso banca o servidor que deveria estar servindo a comunidade enquanto ele faz campanha por três meses. 

 

 

 

Além de ser obsceno, o benefício causa desproporcionalidade na disputa. Enquanto um advogado, por exemplo, precisa dar conta das suas atividades enquanto faz campanha, senão perde os ganhos mensais, o servidor pode se dedicar integralmente à campanha, afinal, o ganha pão está garantido com dinheiro público.

 

 

 

 

 

 

FALA, MOISÉS

Em entrevista aos jornais do interior, o governador Carlos Moisés da Slva (PSL) elencou nesta semana ações concretas de economia. Algumas são mensuráveis, como a economia de R$ 6,2 milhões em combustível.” Passamos a comprar por aplicativo. Tínhamos 2.688 contratos de compra e, agora, apenas um. Isso gera economia. Fizemos o pregão eletrônico, que foi outro fator. O governo sem papel… Selo e papel A4: só isso vai gerar uma economia de R$ 30 milhões, que é o orçamento de manutenção das duas pontes (Pedro Ivo e Colombo Salles, na Capital). Quem diria que o Estado gasta milhões com papel? Você tem noção do que é essa economia repetidas vezes? A gente cria coragem de lançar algumas obras com dinheiro próprio. Por exemplo, essa obra precisa de dez meses de execução e custa R$ 20 milhões. Então, são R$ 2 milhões por mês. Tem R$ 2 milhões por mês? Tem, porque estamos economizando aqui e ali”, disse.

 

 

 

 

Sobre a polêmica do imposto sobre a comercialização de agrotóxicos, disse que a pauta dos benefícios fiscais ainda não terminou porque tem o rescaldo. “A discussão não é focada no agrotóxico. Nem sempre aumentar tributo é ruim. Você equilibra o mercado”, afirmou.

 

 

 

 

 

Pauta polêmica? Acho que o que eu apanhei já foi suficiente”

do governador Moisés sobre as críticas por ter taxado em 17% os agrotóxicos

 

 

 

 

 

 

CONSELHO DE TURISMO

Prefeito de Três Barras, Luis Shimoguiri (PSD), enviou à Câmara de Vereadores projeto de lei que cria o Conselho Municipal de Turismo, vinculado à estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

 

 

.O Conselho Municipal de Turismo é um órgão colegiado consultivo, normativo e deliberativo, destinado a promover, orientar e fomentar o desenvolvimento turístico no Município de Três Barras.

 

 

 

 

 

 

ORÇAMENTO

Prefeito Luis Shimoguiri (PSD) mandou a proposta de orçamento para o ano que vem para a Câmara de Vereadores com previsão de arrecadar R$ 9,1 milhões com impostos municipais. Prevê receber R$ 53,4 milhões com transferências constitucionais, R$ 15 milhões do Fundo da Educação Básica (Fundeb).

 

 

HISTÓRIA

No dia em que a Assembleia Legislativa celebrou os 110 anos do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), uma ilustre figura se destacou entre os homenageados: Elpídio Lopes Guimarães, 92 anos, o servidor mais antigo do IFSC. Ele veio ao plenário do Parlamento catarinense receber das mãos da deputada Luciane Carminatti (PT), proponente da sessão especial, o merecido reconhecimento pelos seus 28 anos de trabalho, entre 1963 e 1991.

 

 

 

 

 

CÂMERA NA ESCOLA

Projeto de lei do vereador de Três Barras, Ernani Wogeinaki Junior (PSB), prevê a instalação de câmeras nos centros de educação infantil e escolas do Município. “A instalação dos equipamentos de segurança significa não apenas um modo de desestimular a ação de agentes delituosos em nossas escolas, mas valerá para elucidar e apurar possíveis delitos praticados nas adjacências, auxiliando, assim, o trabalho policial”, justifica.

 





Deixe seu comentário: