Ator se inspira em modo de falar do canoinhense para fazer imitações


Jefferson Schroeder foi homenageado pela Câmara de Vereadores de Canoinhas

 

 

HOMENAGEM

A Câmara de Vereadores de Canoinhas realizou uma solenidade de entrega do Título de Cidadão Benemérito ao ator canoinhense Jefferson Schroeder, pela destacada trajetória artística representando o município de Canoinhas. O evento aconteceu nesta quarta-feira, 23. A resolução havia sido aprovada pelos vereadores no mês de março, mas em virtude do início da Pandemia não foi possível a entrega oficial do título.

 

 

 

Em seu discurso, Schroeder falou, emocionado, sobre sua trajetória. Leia na íntegra:

 

 

 

 

 

“Quem diria que um dia eu estaria aqui olhando para vocês, recebendo uma honraria por representar a nossa cidade, em nosso país, com a profissão que eu escolhi, ou que me escolheu. Eu já disse algumas vezes que os sonhos de uma criança são uma pista do destino que ela pode ter, uma informação gravada na intuição desde cedo, a missão particular de cada um materializada pelo desejo. Nasci com a arte em mim ou a arte me encontrou e fez de mim um de seus perpetuadores.

 

 

 

Lembro de dizer para os meus pais que eu queria conhecer o mundo para além daqui. Mas antes, cresci até os meus 15 anos por essas ruas, por onde andei de bicicleta com amigos que já partiram, que me molhei na chuva e escorreguei na lama, que caminhei para estudar e pensar na vida que tinha o tamanho de um começo. Fui pra cidade grande e descobri um mundo de arte, de tempo acelerado, de pessoas desconfiadas… E senti falta da nossa paz de Canoinhas, dos nossos pássaros e da esperança que temos em nosso convívio, com habitantes, muitas vezes aparentemente ingênuos, mas representantes da beleza da criação com base na pureza e no amor.

 

 

 

O bem tem o poder das sutilezas e pode parecer frágil, por ser inofensivo. Me senti ingênuo muitas vezes e ainda me sinto, mas ao mesmo tempo observo que é esse coração que tenho e que se assemelha ao de todos que vivem aqui, que me abre portas e me permite viver os meus sonhos e alcançar o que eu desejo. Afinal, a natureza quer o amor entre todos, a ingenuidade e a pureza. Como são os corações dos rios, das pedras, das flores e dos animais. Então ela leva até longe os que podem contribuir por uma sociedade mais harmônica e menos nociva para o mundo.

 

 

 

Por termos tido o privilégio de crescer sem o medo, temos a responsabilidade de levar novos olhares por onde passamos. Para mostrarmos outras formas possíveis de levar a vida, com os passarinhos que nos habitam. Nossos sabiás, canarinhos e pardais. Nossas borboletas, nossas florestas que contornam as nossas estradas. Isso tudo está em nós, e vocês, que fazem parte da minha história, estão em mim por onde eu vou. Cada evolução que aprendi com os meus professores, cada ato de bondade que presenciei em nossos moradores, cada céu azul, cada sol que nos iluminou e nos ilumina em nossos dias frios, tudo isso estará me preenchendo por todos os meus caminhos. Maria, meu colo. Meus amigos. Meus avós. Minha família. A história dos meus pais, a chegada do meu irmão.

 

 

 

Obrigado pelo carinho em reconhecerem a minha história. Que Canoinhas possa formar mais e mais pessoas que façam a diferença onde quer que estejam. Muito obrigado!”

 

 

 

Assista no player acima a entrevista que Jefferson gravou para a coluna. Ele fala sobre a infância em Canoinhas, a inspiração que os canoinhenses lhe dão e a carreira no Rio de Janeiro.





Deixe seu comentário: