Atlético-MG arrecada R$ 10 milhões com vendas da nova camisa “Manto da Massa”


Divulgação

Campanha estimulou torcedores a criarem nova camisa para o time; 1.500 modelos foram inscritos

 

 

 

O Atlético Mineiro lançou uma campanha para que os seus torcedores criassem uma nova camisa para o time, e após receberem mais de 1.500 modelos, 13 foram selecionados para a fase final do concurso. A grande vencedora é a camisa desenhada por um torcedor que vendeu cerca de 60 mil unidades em apenas quatro dias e arrecadou R$ 10 milhões. O “Manto da Massa”, uniforme projetado pelo torcedor Flávio Markiewicz, recebeu mais de 50 mil votos no concurso.

 

 

 

Graças ao enorme sucesso, o presidente do clube Sérgio Sette Câmara informou que os sócios torcedores continuarão recebendo descontos na compra do uniforme.

 

 

 

“Quero agradecer muito o engajamento e dedicação da nossa torcida na compra de mais de 60 mil camisas. É um fenômeno, o Manto da Massa, em quatro dias. Como forma de retribuir, quero oficializar que teremos apenas dois preços durante os próximos dias de venda: R$ 169,99 para os sócios e R$ 269,99 para o não-sócio”, disse o presidente.

 

 

 

Os torcedores geralmente apoiam e demonstram o seu amor pelos seus clubes lotando os estádios e vestindo os mantos sagrados dos seus times. Porém, há aqueles que preferem fazer uma fezinha visitando sites de apostas online de futebol, com dicas para ganhar, e ao mesmo tempo em que se divertem, assistem ao time de coração. Já no caso do Galo, metade do valor levantado pelas vendas do manto (descontando os impostos e despesas de produção), será remanejado para o enfrentamento dos efeitos da crise que aflige o Brasil.

 

 

 

O novo padrão será utilizado com um tipo de terceiro uniforme e, segundo a diretoria do Atlético, aparecerá em ao menos um jogo do time. Dentre algumas características da camisa, está a ausência de logo de patrocinadores. Esta é uma edição limitada.

 

 

 

 

 

Uniformes criados por torcedores

A ideia de uniformes criados por torcedores vem ganhando força. Por trás disso, está o intuito de aumentar o engajamento da torcida e aproximar cada vez mais a relação do clube com as arquibancadas. O Ceará, por exemplo, completou 106 anos de história, e o clube lançou um terceiro uniforme desenhado por um torcedor para comemorar. Conhecida como Nação Alvinegra, a camisa custa R$ 159,90 para os sócios, e R$ 199,90 para a torcida em geral.

 

 

 

Já o Pescara, clube da segunda divisão do Campeonato Italiano, lançou uma camisa desenhada por um garoto de 6 anos. O uniforme chama bastante atenção, já que conta com um golfinho (mascote do time)  e um arco-íris estampados. O modelo será utilizado na temporada 2020/2021.

 

 

 

Em 2017, a fabricante de materiais esportivos, Adidas, lançou um concurso para os torcedores criarem os padrões para seus times do coração. Participaram da campanha:  Flamengo, Milan, Juventus, Real Madrid, Manchester United e Bayern de Munique.  A camisa do Flamengo fez tanto sucesso, que esgotou os estoques nos primeiros dias de venda.

 

 

 

 

 

Crise financeira

O Atlético Mineiro entrou para o grupo de clubes brasileiros que precisaram tomar medidas mais drásticas para controlar sua folha de pagamento e sobreviver às dificuldades financeiras causadas pela crise sanitária global. Recentemente o clube demitiu 50 funcionários, além de reduzir o salário em 25% para os funcionários que recebem acima de 5 mil reais.

 

 

 

Com essas e outras medidas, o presidente do clube espera reduzir as despesas em até R$ 70 milhões até o final do ano. Segundo ele, “as demissões e a consequente redução na folha salarial não são o único item que nós estamos cortando. Existem vários outros cortes que estão sendo feitos no clube para reduzir as despesas. Nosso objetivo é conseguir, no que resta deste ano, um corte em torno de R$ 60 a R$ 70 milhões”.





Deixe seu comentário: