Aproximação entre Norma e direita isola MDB na disputa pela prefeitura de Canoinhas


Vereador Paulinho Basílio/Adriane Hess /Divulgação

Paulinho Basilio, presidente do MDB municipal, diz que partido está aberto ao diálogo

 

 

ISOLADO

A aproximação entre a pré-candidata a prefeita de Canoinhas, Norma Pereira (PSDB), com os partidos de direita liderados pelo PRTB de Ivan Krauss, de certa forma isola o MDB na disputa. Krauss se mostra reticente quanto ao partido, que veicula à chamada “velha política”. Norma tem muitas amizades entre os emedebistas, mas demonstrou empolgação quanto aos partidos que derivaram do PSL, esvaziado depois que Jair Bolsonaro deixou o partido e fundou o Aliança Pelo Brasil, ainda não oficializado.

 

 

 

 

O Aliança, frise-se, não poderá lançar candidatos nestas eleições, porém, vai usar seu poder de fogo com o PRTB e outros partidos menores. Eles veem nos mais de 70% de votos que Canoinhas destinou a Bolsonaro um capital político considerável. A grande questão é: um resultado de uma eleição presidencial se repete na municipal?

 

 

 

 

Militando na política há anos, Norma parece acreditar que sim, ao ponto de deixar o MDB de lado e negociar com a ala identificada com as políticas de direita defendidas por Bolsonaro.

 

 

 

 

O presidente do MDB de Canoinhas, Paulinho Basilio, diz ver com tranquilidade a aproximação de Norma e Krauss. ” Esse é o momento para haver esse tipo de conversa.” Mandando um recado para o PRTB, afirma que “já disse várias vezes que não vamos fechar as portas pra ninguém, política de verdade se faz dialogando”.

 

 

 

 

Questionado sobre a resistência da direita, Paulinho responde com lógica: “Então quem está fechando portas são eles, e não nós. Só posso falar pelo MDB”.

 

 

 

 

Basilio reafirma o potencial do partido e que o MDB vai ter candidatura própria a prefeito. “Quanto às conversas, elas vem ocorrendo, mas nesse momento todo mundo fala com todo mundo”. Inclusive com Beto Passos? “Acho difícil ele apoiar um projeto com o MDB na cabeça”, responde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FUNDÃO

Apesar de ter alterado substancialmente a rotina da população, de empresas e governos, a pandemia do novo coronavírus ainda não abalou o calendário das eleições municipais deste ano nem as regras e condições para a disputa.

 

 

 

A maioria dos partidos e a Justiça Eleitoral defendem que, se as eleições forem adiadas (a data oficial é 4 e 25 de outubro, em primeiro e segundo turnos), que sejam por um curto período, evitando assim o prolongamento do mandato de prefeitos e vereadores eleitos em 2016.

 

 

 

 

O fundo eleitoral, de R$ 2,035 bilhões, também permanece por ora reservado para a campanha dos candidatos, como defendem os principais partidos, e não para uma nova função, o combate à pandemia, como pregam alguns isoladamente.

 

 

 

O principal argumento ouvido pelo jornal Folha de S.Paulo nas últimas semanas foi o de que a atual crise mundial não pode servir de pretexto para a fragilização de um dos pontos fundamentais das democracias, as eleições.

 

 

 

 

 

 

 

 

LEITOS

Os deputados estaduais cobraram do governo estadual, na sessão virtual desta quarta-feira, 22, mais informações a respeito da disponibilidade de leitos de UTI para o enfrentamento da pandemia do coronavírus em Santa Catarina. Os parlamentares aprovaram nove proposições, entre requerimentos, pedidos de informação e indicações, sobre o assunto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DECRETO

Prefeito Beto Passos (PSD) aumentou, por meio de decreto, para cinco dias o prazo para que usuários do estacionamento rotativo possa recorrer de infrações. Antes este prazo era de três dias.

 

 

 

 

 

 

 

 

CADÊ?

Quem entrou por Três Barras em Canoinhas, pelo menos, não viu nem sombra de desinfecção de veículos prometida na semana passada pelo prefeito Beto Passos para começar nesta semana. Pelo menos até agora a promessa não foi cumprida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Governador Moisés mostrou insegurança, desconhecimento e improvisação”

do ex-governador Raimundo Colombo, criticando a ação de Moisés na pandemia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DISTENSIONAMENTO

Sobre a distensão de regras de isolamento social, o colunista da Folha de S.Paulo, Hélio Schwartzman escreveu que “a imagem que me vem à cabeça é a dos motoristas apressados. Depois que veem um acidente grave na estrada, costumam respeitar os limites de velocidade, mas o bom comportamento só dura alguns quilômetros.

 

 

 

 

 

 

 

VIRALIZOU

Caiu nas redes ontem um vídeo de centenas de pessoas invadindo um shopping em Blumenau. Ao fundo um trompetista recepcionando os clientes na reabertura autorizada na segunda pelo Governo. A comparação com o filme Titanic, onde violonistas tocam enquanto o navio afunda proliferaram pelas redes.

 





Deixe seu comentário: