Ana Claudia Quege será candidata a vice na chapa de Shimoguiri


Ana Claudia Quege será candidata a vice de Shimoguiri/Facebook/Reprodução

Atual prefeito de Três Barras foi arquirrival do marido de Ana

 

 

O MUNDO DÁ VOLTAS

Se quatro anos atrás alguém contasse a uma pessoa minimamente informada sobre a política tresbarrense que a esposa do então prefeito Elói Quege (PP) seria vice do candidato a prefeito Luis Shimoguiri (PSD), o ouvinte riria alto. Mas hoje a situação insólita para o passado está prestes a se tornar realidade.

 

 

 

Em reunião na segunda-feira, 24, Shimoguiri e Ana Claudia Quege (PP) selaram aliança. Ana preenche o espaço deixado por Gilson Nagano (PL), que rompeu com Shimoguiri conforme a coluna trouxe no sábado, 22, levando com ele todos os comissionados indicados por ele. Ao que tudo indica, Nagano será candidato a prefeito.

 

 

 

As conversações entre Shimoguiri e o casal Quege vem de tempos. As longas DRs dirimiram os anos de farpas e ações judiciais, situação que levou, inclusive, Shimoguiri a expor logo no começo do mandato, em praça pública, o maquinário que, segundo ele, teria sido sucatado no governo Quege.

 

 

 

A aliança reedita uma parceria bem-sucedida em 2004 e mostra o caráter pragmático de Shimoguiri. Sem Nagano, que o ajudou a se eleger em 2016, opta pela esposa de Quege, que o ajudou a se eleger em 2004 e manteve o time no poder (por mais que tenham rompido também) por dois mandatos.

 

 

 

Procurada pela coluna, Ana não respondeu ao questionamento, confirmado com fontes ligadas a Shimoguiri.

 

 

 

 

 

 

 

 

APOIO

O Partido Social Cristão (PSC) é o quarto partido a confirmar apoio à pré-candidatura do prefeito Beto Passos (PSD) nas eleições de novembro para o Município de Canoinhas. O anúncio foi feito pelo presidente da sigla, Adilson Trukan.

 

 

 

“Canoinhas vive um novo momento de sua história. Prefeito Beto Passos resolveu problemas crônicos do nosso município. Temos muito orgulho desta cidade transformada pela gestão Beto Passos. Temos uma Canoinhas antes do Beto Passos e uma Canoinhas depois do Beto Passos”, argumentou Trukan.

 

 

 

 

Além do PSC, o PL vai continuar a dobradinha com o PSD. O PP, de Esperidião Amim, e o PDT, da deputada Paulinha, também confirmaram apoio a Passos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRADO E PRADO

O secretário de Planejamento de Canoinhas, João Linzmeier, lamentou e repudiou por meio de nota a fala do presidente da Câmara de Vereadores, Paulinho Basílio (MDB), na sessão desta segunda-feira, 25.

 

 

 

“Desafio o vereador a citar os nomes dos profissionais que foram deixados na geladeira por questões políticas. Isso nunca aconteceu. Temos excelentes profissionais na secretaria que atuam de forma muito séria, responsável e são comprometidos com o bem da comunidade. Todos sempre foram valorizados na secretaria. Está é uma acusação sem fundamento que repudio”, declara Linzmeier.

 

 

 

 

Basilio lembrou na sessão de ontem o papel fiscalizador do vereador e lembrou que não adianta ficar bravo. “Se o serviço for bem feito, nós não precisamos apontar o dedo”, disse.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FALANDO NISSO

Situação da rua Alfredo Mayer/Divulgação

Vereador Wilmar Sudoski (PSD) informou ontem que a Prado e Prado já recebeu R$ 493 mil pela obra de asfaltamento da rua Alfredo Mayer, no distrito do Campo d’Água Verde. Faltam ainda R$ 300 mil que, segundo ele, serão pagos quando a obra estiver concluída, vistoriada e aprovada.

 

 

 

 

 

 

 

 

MAIS OBRAS

A Prado e Prado inspira preocupação nos vereadores e no próprio Executivo depois do que foi constatado na rua Alfredo Mayer. Isso porque a empresa venceu o processo licitatório para executar um dos maiores pacotes de pavimentações do governo Beto Passos. Trata-se de parte do lote licitado ano passado para a Progresso Ambiental, que perdeu o contrato depois que o JMais revelou supostas irregularidades na documentação apresentada pela empresa. Depois de várias idas e vindas a Prado e Prado venceu licitação realizada de modo simplificada e vai receber R$ 5.485.887,00 para executar os asfaltos em trechos das ruas Frei Menandro Kamps, Júlio Budant Neto, Frederico Kohler e Antônio Liller.

 

 

 

 

A mesma Prado e Prado vai asfaltar trechos das ruas João Watzko, Porfírio Alves, Ver. João Alexandrina, Feres João Sfair, Deodato de Lima, Paulo Wiese, Alvino Voigt e Henrique Zugmann ao custo de R$ 3.065.907,92. Outros R$ 2.819.567,08 serão pagos pelas obras de pavimentação de trechos das ruas Guilherme Gonchorovski, Bento de Lima, Alois Stueber, além do Calçadão da rua Francisco de Paula Pereira e Calçadão da Vidal Ramos.

 

 

 

 

 

ESTRATÉGIA

Gente ligada ao vereador Paulinho Basilio (MDB) garante que a postura “na moita” que ele vem adotando é estratégica. O pré-candidato a prefeito vem só observando os movimentos de quem ele considera a parceira ideal – Norma Pereira (PSDB) – para ver até onde ela consegue ir (já anunciou o vice Juliano Seleme e coletou o importante apoio do Podemos). Quando Norma estiver com o jogo inteiramente exposto, Basilio entra com uma atitude que, segundo as mesmas fontes, vai surpreender muita gente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LUTO

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina registrou ontem o falecimento do ex-deputado estadual Wilson Vieira, conhecido como Dentinho, ocorrido na noite de segunda-feira, 24, aos 66 anos. Conforme a Bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Alesc, sigla à qual Dentinho era filiado, ele sofria de uma doença degenerativa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EXPLICAÇÕES

O presidente das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Cleicio Poleto Martins, foi chamado para explicar à Comissão de Economia, Ciência e Tecnologia, na tarde desta terça-feira, 25, o reajuste de 8,14% na tarifa de energia elétrica no Estado. Martins disse que não havia o que fazer em função de obrigações legais cumpridas pela empresa, como a compra de energia de Itaipu, que tem o preço fixado em dólar. “Dos 8,14% de reajuste, apenas 0,54% é de responsabilidade da Celesc”, assegurou o dirigente.

 

 

 

 

 

Segundo Martins, o reajuste poderia ter sido maior, mas foi contido pelo repasse de R$ 583,2 milhões feito pela Celesc para a chamada Conta Covid, organizada pela Aneel para evitar reajustes maiores das tarifas. O reajuste do preço da energia de Itaipu, a alta na remuneração das políticas públicas do setor (via cota da Conta de Desenvolvimento Energético – CDE) e o repasse de custos de novas instalações de sistemas de transmissão, que impactariam diretamente a tarifa de energia nos próximos 12 meses, foram diluídos em 60 meses.





Deixe seu comentário: