Abono para motoristas da Saúde provoca discussão na Câmara de Canoinhas


Hospital Santa Cruz, de Canoinhas é um dos filantrópicos do Estado/Divulgação

Depois de muita discussão, emenda proposta por Célio Galeski que permitia o benefício foi retirada por ele mesmo

 

 

 

ABONO

A concessão de um abono de R$ 700 para motoristas da Secretaria de Saúde provocou debate entre os vereadores de Canoinhas na noite desta segunda-feira, 25. Trata-se de uma emenda a um projeto de lei que concede abono de R$ 2,5 mil para médicos, R$ 1 mil para enfermeiros, R$ 1 mil para fisioterapeutas, R$ 700 para técnicos de enfermagem e R$ 350 para serventes que trabalham na linha de frente do combate à covid-19. Classe a qual concursou como funcionário efetivo da prefeitura de Canoinhas, Célio Galeski (PSL) puxou a sardinha para o lado dos seus propondo a emenda que beneficia também os motoristas da Saúde.

 

 

 

 

A emenda provocou reação da vereadora Zenici Dreher (PL). “Vamos mexer no nosso bolso também vereador Célio Galeski. Estamos em ano eleitoral, é mito fácil fazer politicagem com dinheiro público. Vamos fazer política com o nosso bolso. Não vamos fazer política jogando o funcionalismo contra o gestor público”, provocou, afirmando que se os motoristas fossem contemplados, todos os profissionais da Saúde teriam de ser beneficiados.

 

 

 

 

 

Galeski disse que quando fez a emenda para beneficiar a categoria dos motoristas pensou em valorizar a categoria. “Me assusta alguém dizer que o motorista não tem papel importante neste momento. Vi foto de um motorista nosso retirando uma pessoa da ala covid e levando para casa. A vida desse motorista não é importante? É nesse sentido que fiz a emenda. Se a senhora me garantir que os motoristas não vão conduzir pacientes com covid, eu retiro essa emenda. Se a vida dos motoristas é menos importante que a de outros, eu retiro essa emenda. Se o prefeito de fato quiser ajudar, é só enviar um substitutivo para amanhã. Agora, se a Secretaria de Saúde não tiver interesse em contemplar essa categoria, a senhora pode pedir aos colegas que votem contra a minha emenda”, pediu.

 

 

 

 

“Fazemos, então, para todos os profissionais da Saúde, incluindo os funcionários do Pronto Atendimento, do Samu, Unidade do Campo, fisioterapeutas, dentistas, vamos contemplar todos os servidores. Sugiro a aprovação desse projeto na íntegra e fazemos uma emenda destinando o abono a todos os profissionais da Saúde”, retrucou Zenici. No total, Canoinhas tem 352 servidores na Saúde.

 

 

 

 

 

 

Para contemporizar, o presidente da Câmara, Paulo Basilio (MDB) propôs analisar uma normativa do Ministério da Saúde que aponta as profissões que correm maior risco no combate à covid-19. “Tendo estudo nas mãos de que categorias são mais importantes, longe de mim querer tumultuar o processo, mas peço de coração que todos possam refletir para que amanhã cheguemos a um acordo. Temos de estimular a todos neste momento, acredito que todos deveriam receber igual. Acredito que o Executivo não deva mandar outro projeto contemplando a todos, porque se fosse essa a vontade do Executivo já o teria feito. Vamos usar a ciência para fazer um escalonamento de quem deve receber determinado valor”, disse Basilio.

 

 

 

Depois de muita discussão, Galeski retirou a emenda. O projeto original foi aprovado em primeira votação e, segundo o vereador, uma conversa com o prefeito Beto Passos (PSD) na manhã desta terça-feira, 26, deve definir como outras categorias poderão ser beneficiadas.

 

 

 

 

“Se a Secretaria me mostrar que não pode contemplar os motoristas, tudo bem. Conversarei cedo com o prefeito pra tratar do assunto”, finalizou Galeski.

 

 

 

 

 

INTERESSE

O interesse dos servidores públicos pela votação da emenda proposta por Galeski levou a um recorde de acessos a transmissão ao vivo da sessão da Câmara pelo Facebook. A média era de quase 100 pessoas assistindo a sessão ao mesmo tempo.

 

 

 

 

 

OBRAS

Vereadores estão questionando o critério utilizado para abertura de concorrência publica para execução de obras de pavimentação asfáltica em lote único. O edital contempla todas as pavimentações remanescentes do pacote anunciado no meio do ano passado. O valor total do edital é de R$ 13 milhões. Para os vereadores, a divisão em lotes possibilitaria que no caso do não cumprimento e a paralisação do serviços o prejuízo possa ser menor. “Não seria mais viável dividir em vários lotes?”, questiona o requerimento enviado ao Executivo.

 

 

 

Norma Pereira (PSDB) disse estar sendo questionada por moradores e pequenos empresários sobre o edital.

 

 

 

 

 

EU SEI

Dois dias depois de o prefeito Beto Passos (PSD) falar ao JMais que não sabe onde está a peça desaparecida do britador da Secretaria de Obras, o seu ex-secretário Nilson Cochask postou em um comentário na página do JMais no Facebook que sabe onde está a peça e, inclusive, já repassou os detalhes para a Polícia.

 

 

 

 

 

 

 

RESPIRADORES

Arquivo

O deputado Moacir Sopelsa (MDB) protocolou moção de apelo ao superintende regional da Receita Federal no Estado de Santa Catarina, ao governador do Estado de Santa Catarina e ao secretário de Estado da Saúde, apelando para que, embora com um processo de investigação em curso, as autoridades agilizem o repasse dos 50 respiradores mecânicos para as unidades hospitalares catarinenses.

 

 

 

 

 

Os primeiros cinquenta respiradores mecânicos que vieram da china, permanecem retidos e custodiados no terminal de cargas do Aeroporto de Florianópolis, há mais de uma semana.

 

 

 

 

 

 

 

 

TROCA

Caso o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, deixe a pasta por estar saindo do partido do governador Carlos Moisés, o PSL, o novo titular pode ser uma indicação do setor empresarial. A informação é da colunista Stela Benetti, da NSC Total.

 

 

 

 

SEM PROMOÇÃO

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve, em ação civil pública por ato de improbidade administrativa proposta contra o Prefeito de Jaraguá do Sul, tutela de urgência para a imediata paralisação da produção, edição e divulgação dos vídeos intitulados “Semana do Prefeito Antídio Lunelli”. Além de interromper os vídeos, a liminar proíbe a produção ou divulgação de qualquer material análogo, pessoalmente pelo Prefeito ou por intermédio de servidores públicos municipais, por qualquer meio de comunicação.

 

 

 

 

“Precisamos de denominadores comuns e patrióticos. Pontes, e não muros. Diálogo, em vez de confronto. Razão pública no lugar das paixões extremadas”

do ministro do Supremo, Luiz Roberto Barroso, ao assumir a presidência do TSE

 

 

 

 

INACREDITÁVEL

O fato de o Grupo Globo e Folha deixarem de cobrir as coletivas de Bolsonaro na saída do Palácio do Planalto por causa de intimidação sofrida por parte de apoiadores do governo é a reprise de um filme que o Brasil poderia muito bem ter abandonado na era petista. Cada vez mais o bolsonarismo se mostra como um sinal invertido do petismo. Não enxerga erros, endeusa e vocifera. Sem contexto. Sem espaço ao contraditório. Querem e merecem uma ditadura. A boa notícia é que são uma minoria cada vez menor.





Deixe seu comentário: