A Estação restaurada e a oportunidade turística para Canoinhas

Uma equipe de trabalhadores de uma empresa tercerizada, contratada pela RUMO, responsável pela manutenção da linha férrea limpou o entorno da Estação nesta semana/Fátima Santos

Governo Federal anunciou recursos da ordem de R$ 2,3 milhões para revitalização do local

 

 

 


ESTAÇÃO TURÍSTICA

Assim que assumiu o governo, prefeito Beto Passos (PSD) anunciou como uma de suas prioridades colocar em prática um projeto da década de 1950, lançado pelo então prefeito Herbert Riztmamm (pai do empresário Hilton) de se criar um Parque da Cidade no terreno que fica em frente à rádio Clube, na rua Guilherme Prust. O projeto já havia sido retomado nos anos 2000 pelo então prefeito Leoberto Weinert (MDB), mas com poucos avanços.

 

 

Passos, até agora, pouco avançou também. O capítulo mais recente dessa longa tentativa de dar a Canoinhas um local de lazer é a briga entre o Município e a Universidade do Contestado (UnC) para reaver parte do terreno, cedido sob a condição de que algo produtivo de lá saísse, há anos, para a UnC. O máximo que a UnC deu de utilidade ao terreno foi usá-lo como garantia para obter empréstimos bancários.

 

 

 

Ciente de que a implementação do Parque da Cidade não sai neste governo, Passos tem agora a chance de embarcar em um empreitada bem mais promissora dada a complexidade de se consolidar o Parque.

 

 

 

 

O anúncio do Governo Federal de que vai liberar R$ 2,3 milhões para revitalizar a Estação Ferroviária de Marcílio Dias, se de fato se concretizar, cai como um presente no colo de Passos. Hoje, a estação está sob controle do Município. Embora Passos tenha tentado devolver o imóvel para a União, o anúncio faz essa tentativa não parecer bom negócio. Se Passos embarcar no projeto do Governo Federal pode fazer um negócio muito melhor do que tentar erguer do zero o Parque da Cidade. O projeto da União contempla a reforma completa da Estação, do armazém e do restaurante da família Gobbi, hoje aos pedaços ao lado da Estação. A ideia é que depois de revitalizado, o local abrigue feiras agroecológicas e de artesanato, que o restaurante seja licitado para ser explorado comercialmente e que o local fique aberto especialmente nos fins de semana.

 

 

 

 

Se Passos quiser potencializar o ponto turístico, pode buscar a reativação de um pequeno trem de passageiros, uma Maria Fumaça, que poderia partir da estação de Canoinhas rumo a de Três Barras. A passagem pela belíssima ponte de ferro seria o ponto alto do passeio. Uma visita a Cervejaria Canoinhense, depois do passeio, fecharia a atração com chave de ouro.

 

 

Canoinhas, de modo geral, tem uma grande oportunidade de ter um espaço turístico de fato. Resta, primeiramente, o Governo Federal cumprir o que promete e o Governo do Município atentar para o potencial que isso representa.

 

 

 

 

O OCASO DA CANOA

A canoa encontrada por pescadores no fundo do rio Canoinhas no ano passado segue sem destino. Atualmente ela ocupa um espaço em um bar de Marcílio Dias. O dono estuda vendê-la para compensar o que gastou com o guincho para tirá-la do rio. Interessados já surgiram.

 

O Município diz que tentou levar a canoa para o Parque de Exposições Ouro Verde, onde está outra canoa encontrada nos anos 1990 no mesmo rio, mas os pescadores que encontraram a canoa não abrem mão de que a canoa fique em Marcílio Dias.

 

 

 

 

LONGA ESPERA

Célio Galeski (PR)  brincou com Paulinho Basilio (MDB) nesta semana que ele vai ter de esperar os vereadores há mais tempo na casa para ser prefeito de Canoinhas. Pela lista de veteranos, Basilio vai ter de esperar vários anos.

 

 

 

 

ASFALTO

Começaram as obras de asfaltamento da estrada que liga a rua Bernardo Olsen, no Alto da Tijuca, à localidade do Parado. A ideia do Município é criar mais um anel viário ligando o Alto da Tijuca ao bairro Industrial número 1. O asfalto, futuramente, vai passar pelo Jardim Lavrama e Jardim Esperança, encontrando a rua Henrique Sorg, já asfaltada, na Cohab 4. Como a ideia é abrir a rua que hoje é ocupada pela empresa Lavrasul, o asfalto seguiria até o bairro Cristo Rei, na rua Álvaro Soares Machado.

 

 

 

 

 

 



NUNCA ANTES NA HISTÓRIA

Prefeito Beto Passos anuncia para a próxima semana a entrega de um grande volume de maquinários para a Secretaria de Obras. O prefeito não especifica quantos e quais equipamentos serão entregues, mas crê que seja o maior da história.

 

 

 

 

 

 

 

O PLANO

Governador Carlos Moisés da Silva (PSL) lançou ontem um plano de investimentos em infraestruturas, com obras estratégicas para cinco regiões do Estado. Até agora só anunciou a primeira, que será em Chapecó,  no trecho que complementa o Contorno Viário Oeste, entre a BR-282 e a SC-283. O governador autorizou a licitação da obra para a área de 11,4 quilômetros.

As outras medidas serão anunciadas nas próximas semanas. Ótimo, resta saber como Moisés vai resolver o que já aí está, como a dívida milionária com a saúde. Deveria resolver problemas pontuais como este antes de anunciar qualquer plano de obras.

 

 

 

 

 

 

FALA, MOISÉS

Governador Carlos Moisés concedeu entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo publicada neste sábado, 8, na qual critica as medidas polarizadas do governo Bolsonaro, como o homeschooling e o aumento de pontos na carteira de habilitação. “O governo tem de se importar com coisas mais importantes como, por exemplo, o auxílio financeiro aos Estados. Os Estados não têm como pagar suas contas”, disse.

 

 

Moisés reclamou de militantes de extrema direita que não entendem como ele pode receber militantes sem-terra, por exemplo. “Em Santa Catarina temos 20 mil famílias assentadas. Não são uma ficção. Um estadista tem de governar para todas as pessoas”, afirmou.

 

 

Ele falou também sobre supostos atos de xenofobia no Estado. “A gente sabe que nosso Estado não pode ser xenófobo, ele é resultado da mistura de povos, por isso ele é bom. Mas, às vezes, as pessoas cobram da gente como se uma ideologia de extrema direita fosse prevalecer nas ações do governo”, afirmou.

 

 

 

 

 

“Um estadista tem de governar para todas as pessoas (…) Pauta de governo tem de ser pauta relevante”

do governador Carlos Moisés em entrevista ao Estadão deste sábado, criticando o governo Bolsonaro, na onda do qual se elegeu

 

 

 

 

 

 

 

 

CONCESSÕES

O deputado estadual Silvio Dreveck (Progressistas) voltou a defender as concessões das rodovias à iniciativa privada, especialmente da rodovia SC-418, entre Joinville e São Bento do Sul, com maior trecho na Serra Dona Francisca. De acordo com o parlamentar, não há recursos no orçamento do Estado para a recuperação. “Se depender de empréstimos vai levar muito tempo, é uma rodovia que tem um tráfego intenso”, insistiu Dreveck.

Ainda segundo o deputado, a rodovia já esteve mapeada para ser concedida, em projeto do governo anterior, em pacote com a BR-280 e a Rodovia do Arroz, entretanto, o curioso modelo de concessão, unindo a estrada federal com rodovias estaduais, não foi adiante. “Ou os governos aceleram as concessões ou infelizmente não vamos ver a solução das rodovias. Isso tem um custo elevado e está ocasionando diversos acidentes”, avaliou o deputado.

 

 

 

SUS

Graças à atuação do Ministério Público de Santa Catarina, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, 887.689 cidadãos catarinenses que aguardam pela realização de exames, consultas e cirurgias eletivas têm acesso às filas de espera, com indicação da posição na qual se encontram.

 

 

Desde o lançamento do portal de transparência das listas de espera  já foram realizadas 2.413.668 consultas às filas.

Deixe seu comentário: