89,7% dos candidatos de Canoinhas e região se declaram brancos; apenas 1,3% se declara preto


8,52% dos candidatos do Planalto Norte se declaram pardos

 

 

 

 

ELEIÇÃO BRANCA

Levantamento de dados feito pelo JMais a partir da divulgação das candidaturas no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) mostra que há um forte predomínio de brancos entre os candidatos do Planalto Norte. Canoinhas, por exemplo, só tem um candidato declarado negro. Nas eleições de 2016 eram dois. A cidade tem 88,7% da população declarada branca. 2,2% se declara preta e 8,4% parda de acordo com o último censo, feito em 2010.

 

 

 

Fonte: TSE/IBGE com dados das dez cidades do Planalto Norte

 

A maior desproporção está em Papanduva, que tem 70,2% da população declarada branca, mas nenhum candidato preto. De acordo com o último censo apenas 0,2% da população se declarou preta.

 

 

 

 

 

Estes dados chamam a atenção em um ano em que o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a adoção da cota financeira para candidatos negros já na eleição deste ano. Foram 10 votos contra um.

 

 

 

 

Com isso, os partidos terão de distribuir a verba do fundo eleitoral de acordo com a proporção de negros que concorrem no pleito. Inicialmente, o Tribunal Superior Eleitoral havia decidido que a regra só valeria para as eleições de 2022.

 

 

 

 

 

A divisão deverá respeitar a proporção de candidatos negros em todo o país. O magistrado também determinou que o cálculo para divisão dos recursos deverá levar em consideração, primeiro, o gênero dos concorrentes para, depois, ocorrer a distribuição proporcional relativa à raça do candidato.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como as mulheres têm direito ao mínimo de 30% dos recursos do fundo, os partidos deverão distribuir igualmente a verba entre as concorrentes mulheres negras e brancas e entre os homens brancos e negros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RECUPERAÇÃO

Prefeito Beto Passos (PSD) já se sente bem e, teoricamente, está pronto para voltar ao convívio social. Ele admite, no entanto, que passou por uma semana terrível por causa dos sintomas da covid-19. Agostinho Machado, que responde atualmente pela pasta do Desenvolvimento Rural, também contraiu a doença e está em recuperação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PELAS REDES

Enquanto isso, nas redes sociais, o candidato Ivan Krauss (PRTB) postou imagens de visitas pelo interior se dizendo impressionado com a má conservação de algumas estradas. Postou ainda que não vai fazer o perfil “candidato simpatia”. “Política e administração pública, não se faz com risadinhas, tapinha nas costas ou conchavos. Será necessário sim, cara feia, pulso firme e coragem pra reverter um sistema que a décadas se beneficia do acesso fácil aos cofres públicos e ao dinheiro das pessoas.”

 

 

 

 

 

 

Norma Pereira (PSDB)  vai promover um “Pedal” nesta segunda-feira, 12, feriado de Nossa Senhora Aparecida e Dia das Crianças. Segundo a candidata, “sabemos que tem muitos ciclistas em nossa cidade, por isso resolvemos dar essa volta de bike já que é feriado, dia perfeito para praticar um esporte. O pedal nos possibilita estarmos reunidos, mantendo o distanciamento permitido e proporciona a saúde, a sustentabilidade e principalmente a alegria. É dia das crianças e nós queremos comemorar! Então, porque não com um esporte que qualquer pessoa, de qualquer idade pode aderir?”, questionou Norma.

 

 

 

 

 

 

 

Já Beto Passos (PSD) postou homenagem ao amigo Vadeco Cochen, ex-vereador de Canoinhas falecido nesta sexta-feira, 9. “Hoje é um dos dias mais tristes da minha vida! Perdi um amigo que tenho por ele um amor grande e verdadeiro. Vadeco Cochen é uma daquelas pessoas que entra na vida da gente e nunca mais deixamos de admirar e cuidar da amizade. Meu coração está de luto, mas esse meu velho amigo não podia ficar sofrendo.
Deus em sua infinita misericórdia cuide e guarde o nosso Vadeco em um lugar santo e abençoado.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRAZO

Terminou nesta quinta, 8, o prazo para que os candidatos, partidos ou o Ministério Público impugnassem pedidos de candidatura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TIC TAC

Presidente da Alesc, deputado Julio Garcia

Termina na próxima semana o prazo dado pela juíza Janaína Cassol, da 1ª Vara Federal de Florianópolis, para o presidente da Assembleia catarinense, Júlio Garcia (PSD), e familiares denunciados na Operação Alcatraz apresentarem suas alegações antes de decidir se eles se tornarão réus.

 

 

 

 

Caso isso ocorra, Garcia não poderia mais assumir o governo do Estado em caso de impeachment de Carlos Moisés (PSL) e da vice, Daniela Reinerh (sem partido), cuja votação de relatório da comissão especial ocorre dia 23. Se  o parecer for favorável ao impeachment, Moisés e Daniela são afastados imediatamente por 180 dias e, teoricamente, Garcia é empossado. Nestes 180 dias ocorre a votação final que pode afastar Moisés e Daniela definitivamente.

 

 

 

A dúvida agora é se o impeachment pode ocorrer antes da decisão da juíza. Neste caso, Garcia ganharia foro especial e seu julgamento subiria para o STJ.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SHOW

O celular que a Polícia Federal apreendeu na residência oficial do Governo do Estado foi oferecido por Carlos Moisés de bom grado em junho. A Procuradoria Geral da República ignorou a oferta à época.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1,3 milhão 

de teleconsultas médicas foram realizadas durante a pandemia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LIDERANÇA

Nas grandes cidades, PSDB e MDB conseguiram formar chapas de candidatos a prefeito que atraíram o apoio de um maior número de partidos. Na comparação com o rival PT, PSDB e MDB têm menos candidatos a prefeitos nesses grandes centros, mas conseguiram formar coligações que, na média, têm mais do que o dobro de partidos do que as dos petistas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

36,89%

dos empresários ouvidos em pesquisa feita pela KPMG acreditam que a volta ao escritório só ocorrerá em 2021; por enquanto só home office

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PERMUTA

 

Após a Procuradoria-Geral do Estado de Santa Catarina (PGE/SC) impetrar mandado de segurança, a Justiça determinou que transferência de preso do Rio de Janeiro para Joinville somente pode ocorrer por permuta. O Estado defendeu que cabe ao  Departamento de Administração Prisional (Deap) gerir vagas de presídio com base na conveniência e oportunidade.

 

 

 

O caso trata de um homem que foi preso em flagrante no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro em 2019 por tráfico internacional de drogas. Em sentença criminal, foi negado o direito de o preso recorrer em liberdade e o juiz deferiu, naquele processo, a transferência para o presídio de Joinville por proximidade familiar. Contudo o Deap, órgão estadual responsável por conceder as vagas prisionais, informou que a transferência somente poderia ocorrer por meio de uma permuta com algum preso de Joinville que desejasse ser transferido para o RJ, pois não havia vagas disponíveis.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

144%

é o aumento de renda que um brasileiro tem ao cursar ensino superior





Deixe seu comentário: