You faz refletir sobre relacionamentos em tempos de redes sociais

Série You está disponível na Netflix/Divulgação

Série disponível na Netflix é instigante e surpreendente

 

 

YOU E AS REDES SOCIAIS

Você seleciona os melhores momentos da sua vida para postar no Facebook, Instagram, Snapchat. As curtidas, os comentários, os views. Tudo alimenta seu ego e te faz se sentir bem. Todo mundo que tem perfil em alguma rede social sabe do que estou falando.


 

Beck não é diferente. Ativa em todas as redes, ela tenta justamente se desligar delas para limpar a mente e se dedicar a carreira de escritora. Ela está em meio a esse dilema quando conhece Joe, o dono de uma livraria que se encanta por ela logo de cara.

 

Joe não é ativo nas redes sociais, mas sabe o potencial que elas têm quando se quer descobrir tudo sobre a vida de alguém. Obcecado por Beck, ele começa a segui-la nas redes, descobre seu endereço, onde estuda e quem são suas melhores amigas. Começa um cerco. Aos poucos, por meio de várias situações provocadas por ele, eles vão se aproximando e o relacionamento se torna inevitável, até que as coisas vão ficando bem feias.

É curiosa a história de You, essa série tão contemporânea e instigante que, inexplicavelmente, foi um fracasso quando passou em setembro no Lifetime. A segunda temporada foi cancelada e a série esquecida.

 

Acabou estreando na Netflix praticamente junto com o arrasa quarteirão Bird Box. Tinha tudo para ficar confinada na periferia do serviço de streaming. Não foi o que aconteceu.

 

Justiça seja feita, a série teve a recepção que merece. Agora, a segunda temporada já foi anunciada. A julgar pelo final da primeira temporada (alguns não gostaram), tem potencial para surpreender.



 

 

‘A FLORESTA DAS ALMAS PERDIDAS’

A partir desta quinta-feira,  7, o terror indie A Floresta das Almas Perdidas estará disponível nas plataformas de vídeo on demand das principais operadoras de TV por assinatura. Com direção de João Pedro Lopes, o longa narra uma história de terror passada numa floresta onde pessoas se suicidam. Estrelado por Daniela Love e Jorge Mota, o filme ainda traz no elenco Lígia Roque, Mafalda Banquart, Tiago Jácome, Débora Ribeiro e Lília Lopes. Com produção da 2203 Studio e Anexo 82, o filme tem recebido críticas muito positivas e participou de festivais como ode Sydney, o Fantasporto e o Fant Bilbao (Espanha) onde venceu o Prêmio de Melhor Filme. 

A distribuição será da Fênix Filmes.  

 

 

 

SUNDANCE

Começou, no dia 24 de janeiro, o Festival de Sundance de Cinema, que marca oficialmente o início de um novo ano para o meio audiovisual. Neste ano, a mostra vai até o próximo domingo, 3. Conhecido por valorizar as produções independentes e apostando sempre na diversidade, a seleção de filmes é bastante eclética, com temas variados e países do mundo todo, como Noruega, Macedônia, Bulgária, Brasil e Qatar. Além disso, pauta-se muito aqui a questão da inclusão; dos 112 filmes compondo a programação, 45 são dirigidos por uma ou mais mulheres, 40 por cineastas negros, e 15 por pessoas que se identificam como LGBTQIA.

 

Os filmes de não-ficção que entram no festival passam a figurar entre os mais comentados durante o ano, ganhando força até mesmo no Oscar, que acontece quase um ano depois. Só para se ter uma ideia, dos cinco filmes indicados ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, quatro passaram por Sundance em janeiro de 2018. Essa é uma característica que também se estende à ficção. A prova disso é Corra!, que fez sua estreia mundial na edição de 2017 e deu o que falar o ano todo. Outros exemplos de sucesso são: Me Chame Pelo Seu NomeMudbound: Lágrimas Sobre o MississipiWhiplash: Em Busca da Perfeição, BrooklynManchester À Beira-MarPreciosa e Indomável Sonhadora.

 

Deixe seu comentário: