Vereadores reclamam de ônibus da Reunidas que faz linha até a Capital

Renato Aguiar/Divulgação

Segundo relato do vereador, há passageiros que preferem ir à Curitiba para pegar outro ônibus rumo a Florianópolis

 

 

LINHA DA AGONIA

Vereador Wilmar Sudoski (PSD) solicitou requerimento a ser enviado à empresa Reunidas que cobra melhorias no ônibus que faz a linha Canoinhas a Florianópolis. A linha passa pelas principais cidades do Estado por cerca de 500 quilômetros. São quase dez horas de viagem. No caminho, segundo relatado por usuários do transporte, já aconteceram várias falhas mecânicas, o que coloca em risco a vida dos viajantes.


 

Sudoski disse que soube que a Reunidas está comprando novos carros e que solicita que um desses veículos substitua o atual ônibus que faz a linha que começa em Porto União e para na Capital.

 

A situação é tão complicada que, conforme relatou Sudoski, passageiros estão optando por embarcar de Canoinhas para Curitiba pela Ouro e Prata e de lá seguem para Florianópolis com a Catarinense. Acham que embora mais trabalhosa, a alternativa oferece mais segurança.

 

 

PROBLEMA ANTIGO

A Reunidas tinha monopólio sobre o Terminal Rodoviário de Canoinhas até 2017. Com ônibus sucatados e uma crise interna, optou por liberar as linhas interestaduais para a Ouro e Prata. O ganho para os usuários salta aos olhos.

 

Os passageiros de Canoinhas, no entanto, seguem reféns da Reunidas nas linhas estaduais. Isso faz com que um cidadão que queira ir a Jaraguá do Sul, a 175 quilômetros de Canoinhas (menos de três horas de carro) tenha de passar por uma saga de 10 horas na estrada (o ônibus vai até São Bento do Sul, onde é preciso esperar por seis horas por uma conexão). Sai 7h e chega 17 horas no destino. Não há alternativa.

 

O mais curioso é que o serviço é uma concessão fiscalizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que nada faz para cobrar melhorias da empresa.

 

 

 

NOVO ROUND

Vereadora Telma Bley (MDB) rebateu nota do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC) afirmando que não houve interrupção das cirurgias eletivas. Ela leu nota do próprio HSCC, publicada nas redes sociais, confirmando a suspensão em janeiro.

 

O diretor administrativo do HSCC, Derby Fontana, afirma que houve de fato interrupção, mas desde o começo de fevereiro as eletivas estão acontecendo.

 

 

“Ele tá com amnésia ou algo assim?”

Do presidente da Câmara de Canoinhas, Célio Galeski, sobre o diretor administrativo do HSCC, Derby Fontana, em relação a polêmica das cirurgias eletivas. Galeski disse que não acredita em mais nada que Fontana diz

 

 

ESTAGIÁRIOS

A Câmara de Vereadores aprovou aumento na bolsa para estagiários da prefeitura de Canoinhas. Eles passam a receber R$ 700 mensais mais auxílio-transporte. Eles trabalham seis horas por dia e têm de provar que estão frequentando curso superior.

 

 

É OU NÃO É

Após aprovação de requerimento a ser encaminhado pelos vereadores para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, vereador Paulinho Basilio (MDB) questionou sobre o impasse relacionado a permanência de Paulo Machado como titular da pasta. “Tem de ver se o secretário é ou não é mais secretário. Semana passada era, agora não é mais. Como paira essa dúvida no ar, temos de ter certeza quem é o secretário para mandar requerimento”, ponderou.

 



 

Pelo silêncio dos vereadores de situação nem eles sabem a resposta para o questionamento.

 

 

ESCLARECIMENTO

A assessoria de imprensa do Município esclarece que o texto sobre a saída de Paulo Machado do governo foi enviado somente ao jornal Diário do Planalto porque foi resposta a uma demanda específica do jornal, portanto, não foi publicado no site da prefeitura.

 

 

RESPOSTA

O vereador de Três Barras, Marco Antonio de Souza (MDB), contestou nota da coluna publicada ontem. Abaixo a resposta na íntegra:

 

 

Sobre os trechos da matéria publicada no site JMais, do jornalista Edinei Wassoaski, em que me cita, tenho a esclarecer:

 

 

I- Quem passou tais informações para o referido jornalista certamente é gente aliada a atual Administração.

 

 

II- A minha ausência na última reunião já está mais que do esclarecida na minha página. Já contrapus o prefeito em diversas reuniões, e esse deve ser o motivo por não me convidar ou tornar impossível minha participação em reuniões. E nesse sentido, lanço o desafio para que a partir de agora todas as reuniões entre o prefeito e vereadores sejam transmitidas ao vivo.

 

 

III- Quem me acompanha nesses 2 anos de mandato, sabe que não tenho qualquer “obsessão por constranger” esse “governo”, mas sim tenho feito uma oposição critica, propositiva e construtiva.

 

 

IV- Com relação as dívidas, sem entrar no mérito se existem ou não, impõe questionar por que o prefeito não respondeu ao pedido de informações formulados pelo ex-prefeito, pelo qual este solicitou a apresentação das mesmas? O fato está na justiça, processo n. 0300363-59.2019.8.24.0015, da qual o prefeito já foi inclusive citado.

 

 

V- No tocante a minha possível candidatura em 2020, não é “discurso surrado”, e sim a realidade. Como tenho falado, o MDB voltará a ser protagonista no próximo pleito, honrando sua tradição, e lançará candidato a prefeito, com um projeto de desenvolvimento do Município, dando uma opção para o povo tresbarrense. Dentro do MDB existem muitas pessoas qualificadas e com potencial de disputar as eleições, cada um deve fazer seu trabalho e se eu for o indicado, estarei disposto, respeitando, naturalmente todas os personagens políticos que estarão no “jogo”, dentre eles, é claro, o ex-prefeito Eloi José Quege e Emilio Gazaniga, que como falado na notícia, são do PP, ou seja, partido diverso do meu.

 

 

 

 

Deixe seu comentário: