Polícia acredita que pelo menos 30 bandidos participaram de assalto


Um caminhão incendiado bloqueia a delegacia do batalhão da Polícia Militar, colocada ali por uma quadrilha que roubou um Banco do Brasil em Criciúma/Agência Brasil

Ação é considerado maior assalto já visto em Santa Catarina até hoje

 

 

 

Cerca de 30 criminosos, com armas de grosso calibre, invadiram e assaltaram uma agência do Banco do Brasil no Centro de Criciúma no início da madrugada desta terça-feira, dia 1º. Várias pessoas foram usadas como reféns. Para dificultar o trabalho da polícia, integrantes do grupo incendiaram um caminhão em frente ao batalhão, inviabilizando a saída de algumas viaturas da Polícia Militar.Trata-se do maior assalto já realizado em Santa Catarina até hoje.

 

 

 

De acordo com o delegado da Polícia Civil responsável pela investigação, Ulisses Gabriel, a ação teve início pouco antes da meia-noite, quando começaram os primeiros disparos no batalhão da PM onde um caminhão foi incendiado. Policiais tiveram que percorrer cerca de 2 quilômetros a pé para chegar à agência do Banco do Brasil, no centro da cidade, onde funciona a tesouraria regional do banco.

 

 

 

 

Não há, até o momento, estimativa sobre quanto foi roubado pelos bandidos. No entanto, pelo menos R$ 340 mil foram recuperados em duas mochilas abandonadas e, posteriormente, roubadas por moradores locais. “Fui acionado por volta da meia-noite. Quando chegamos, populares estavam furtando parte do dinheiro que havia sido abandonado pelos criminosos. Quatro indivíduos acabaram foram presos, com os valores dentro de seus apartamentos”, disse o delegado da Polícia Civil de Santa Catarina, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

 

 

Como cerca de 30 quilos de explosivos não detonados foram deixados no local, o batalhão antibombas da PM foi acionado, bem como a divisão antirroubos e sequestro. Durante a ação criminosa, algumas pessoas foram abordadas nas proximidades e feitas de reféns. “Elas foram colocadas sem camisa na faixa de pedestre”, detalhou o delegado.

 

 

 

Segundo ele, diligências e perícias estão sendo feitas no banco. “Há equipes analisando filmagens e câmeras de segurança. Muitos disparos foram efetuados no centro da cidade e vários prédios e construções foram alvejados”, acrescentou.

 

 

 

Durante a troca de tiros, um policial militar foi alvejado e um refém foi agredido pelos criminosos. O policial passa por uma cirurgia e o refém está bem, informou o delegado.

 

 

 

Em nota enviada pela PM à Agência Brasil, fala-se que uma segunda pessoa teria sido alvejada e que quatro pessoas teriam sido presas tentando roubar as cédulas espalhadas nas ruas. A PM contabiliza até o momento R$ 810 mil recolhidos no local.

 

 

 

Ainda não há informações precisas sobre a origem dos criminosos. No entanto, algumas pessoas que foram abordadas pelos bandidos disseram que eles tinham sotaque diferente do de Santa Catarina, informou a Polícia Civil.

 

 

 

Ao deixarem o local, os criminosos usaram cerca de dez veículos e foram na direção do município de Nova Veneza, a cerca de 10 quilômetros de Criciúma, onde teriam abandonado os carros e pego outros veículos.





Deixe seu comentário: