Homem negro assassinado por vigias do Carrefour no RS na véspera do Dia da Consciência Negra é o principal destaque deste sábado


Reprodução

Sábado, 21 de novembro de 2020

 

 

O Globo

 

 

Manchete: Barbárie no mercado

João Alberto, negro, é espancado até a morte na véspera do Dia da Consciência Negra

No dia da Consciência Negra, os brasileiros acordara ontem em choque com o assassinato de João Alberto Silveira Freitas, negro, de 40 anos, espancado até a morte por dois seguranças brancos em um supermercado da rede Carrefour, em Porto Alegre. O crime provocou manifestações em diversas cidades e condenação pela cúpula dos poderes Legislativo e Judiciário. O vice-presidente Hamilton Mourão, no entanto, disse que “no Brasil não existe racismo”. PÁGINAS 17 E 19.

 

 

  • Cotas para negros e mulheres têm indícios de ‘laranjas’
  • Volta da classe alta às compras aquece comércio
  • Imunidade após Covid pode durar seis meses
  • Consumo potencial de favelas o País é de R$ 159 bilhões ao ano
  • Contato com coronavírus já afeta 20% dos jogadores
  • Um petshop de R$ 6,9 bilhões e 57 mil acionistas

 

 

 


 

Folha de S. Paulo

 

 

Manchete: Homem negro morre espancado por seguranças do Carrefour no RS

Assassinato é filmado por testemunhas e gera onda de protestos pelo País; rede diz que ato foi brutal e demite envolvidos

João Alberto Silveira Freitas, 40, foi espancado e morto na noite de quina-feira (19) por dois seguranças de um supermercado Carrefour em Porto Alegre. Homem negro, morreu sob as vistas de testemunhas e teve seu assassinato filmado na véspera do Dia da Consciência Negra.

Laudo preliminar aponta asfixia como a causa mais provável da morte. Segundo a delegada que apura o crime, Roberta Bertoldo, os seguranças Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva ficaram em cima de Freitas quando o espancavam, dificultando sua respiração. Os homens que trabalham para a empresa Vector, foram presos em flagrante por homicídio qualificado.

O Carrefour classificou a morte como “brutal” e disse que reverterá sua receita de ontem no País para projetos de combate ao racismo, romperá com a Vector e demitirá funcionários envolvidos.

O vídeo do assassinato se disseminou por redes sociais e gerou onda de indignação e revolta em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, onde manifestações pelo Dia da Consciência Negra –  a data não é feriado na capital gaúcha – ganharam corpo.

Um dos atos acabou em quebra-quebra e incêndio de unidade da rede em São Paulo. COTIDIANO B1

 

  • Em caso de negro com deficiência, rede viu exagero
  • Racismo tira dois anos de aprendizado de aluno preto

 

 

 

  • Para maioria, pandemia deve piorar em 2021
  • Seis capitais estão com mais de 80% de lotação de UTIs
  • Covas esbarras em jovens, e Boulos almeja mais pobres

 

 

 


 

O Estado de S. Paulo

 

 

Manchete: Assassinato de homem negro provoca protestos pelo País

João Alberto Freitas foi espancado até a morte por vigias do Carrefour; polícia vai investigar motivação racial

João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, foi espancado até a morte por dois homens brancos em um supermercado Carrefour, em Porto Alegre, na véspera do Dia da Consciência Negra. O laudo médico aponta morte por asfixia. Os assassinos, um segurança do estabelecimento e um policial militar temporário, serão indiciados por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, impossibilidade de defesa e asfixia. Outras pessoas serão investigadas por omissão de socorro. Não está claro o que aconteceu antes do crime. Para o pai da vítima, houve motivação racial, o que será investigado pela Polícia Civil. Imagens divulgadas ontem mostram Freitas sendo agredido com pelo menos 12 socos e o momento em que um dos vigias usa o joelho para imobilizálo. O crime provocou protestos e depredações de lojas do Carrefour pelo País. PÁGINAS A10 E A22.

 

 

  • Salário médio em estatais chega a R$ 31,3 mil, sem contar diretorias
  • 6,3 mil mulheres tiveram um ou zero voto nas eleições
  • Covas fala em Lava Jato municipal; Boulos lança frente
  • Pfizer pede uso emergencial de vacina nos EUA
  • Trump amplia pressão a Legislativos estaduais
  • Lojistas tentam renegociar aluguel com alta de IGP-M





Deixe seu comentário: