Governo de SC diz que quitou dívida com mais da metade dos credores na Saúde

Cristiano Estrela/Secom

Hospitais filantrópicos, como o Santa Cruz, no entanto, seguem sem receber pagamentos atrasados

 

 

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) disse nesta quinta-feira, 14, que já quitou metade da dívida herdada do governo passado pela Secretaria de Saúde. Setor com o maior volume de recursos já empenhado neste ano, R$ 740 milhões, a pasta da Saúde passa por um pente-fino para identificar oportunidades de usar melhor os recursos públicos, com economia e aperfeiçoamento dos serviços, segundo o governador. Para atingir esse objetivo, todos os contratos da saúde estão sob revisão e o Governo quitou a dívida de mais de 60% dos credores, informou o governador.


 

 

“Aumentar os gastos é a solução mais cômoda, mas traz um custo muito alto para o cidadão que paga impostos. O foco tem que estar na profissionalização da gestão, para resgatar a confiança e a credibilidade”, destaca o governador Carlos Moisés.

 

 

Uma das ações para racionalizar o uso dos recursos é o estímulo a um número cada vez maior de concorrentes para as licitações. Nesta semana, a Secretaria de Estado da Saúde finaliza o primeiro processo licitatório totalmente digital. Segundo a diretora de Aquisições e Licitações, Carla Giani da Rocha, a digitalização garante mais concorrência, celeridade, transparência e economia, com melhores resultados para as compras e contratações. A determinação é que, de agora em diante, todos sigam o modelo.

 

 

CONTROLE DA DÍVIDA

No começo de janeiro, a Secretaria de Estado da Saúde tinha 659 credores. Segundo o superintendente de Gestão Administrativa, Vanderlei Vanderlino Vidal, alguns deles já haviam desistido de participar de novas licitações, prejudicando e encarecendo o fornecimento de materiais e serviços.

 

 

“Em dois meses de trabalho, quitamos as dívidas com 437 fornecedores e também buscamos contemplar parcialmente os outros 222. Com isso, vários fornecedores voltaram a participar das licitações, o que amplia a concorrência”, expõe Vidal. “É um indicativo do resgate da credibilidade da Secretaria de Saúde”, acrescenta. Em dois meses, a dívida herdada foi reduzida em mais de R$ 100 milhões.

 

 

PATRIMÔNIO



Ao mesmo tempo, um levantamento está sendo feito em todo o patrimônio da SES, para acabar com a subutilização de bens. Nos últimos dias, a equipe encontrou um gerador elétrico guardado em um galpão em Lages, enquanto há hospitais que necessitam do equipamento. A Secretaria está avaliando qual a unidade precisa do gerador com mais urgência para encaminhá-lo.

 

 

“Quando aprimoramos a gestão e a aplicação de recursos, o resultado é o melhor atendimento na ponta, ao cidadão catarinense. Não há fórmula mágica para resolver todos os problemas de uma só vez. Há trabalho, planejamento e, principalmente, gestão qualificada para que os serviços possam ser prestados de uma forma melhor”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino.

 

 

A Secretaria também busca parcerias com a Celesc, no intuito de viabilizar recursos dentro do programa de eficiência energética, o que permitirá redução nas contas de energia elétrica.

 

DÍVIDAS COM HOSPITAIS

Na semana passada, o secretário Zeferino recebeu diretores de hospitais filantrópicos de todo o Estado, incluindo Derby Fontana, do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC). O Estado tem uma dívida de R$ 932 mil com o HSCC.

 

O secretário afirmou que “a secretaria não tem dinheiro em caixa, e que os pagamentos vão depender da capacidade financeira da secretaria. Hoje 1/4 do orçamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES) é para o pagamento de dívidas”.

 

O presidente da Associação de Hospitais do Estado de Santa Catarina  (Ahesc), Altamiro Bittencourt, cobrou do secretário um cronograma de pagamento que dê maior tranquilidade aos gestores hospitalares. Segundo Zeferino, este tema está sendo analisado pela equipe técnica da Secretaria, e que num curto espaço de tempo terá um posicionamento sobre o cronograma que será estabelecido e honrado”, destaca.

 

 

Confira as ações em andamento para tentar melhorar a gestão da saúde em SC:

  • Revisão de todos os contratos;
  •  milControle da dívida de forma estratégica para recuperar a credibilidade da Secretaria de Saúde;
  • Levantamento de todos os bens para acabar com a subutilização;
  • Uso do helicóptero do governador para transporte de órgãos doados;
  • Estudo de parcerias com a Celesc para a redução nas contas de energia elétrica;
  • Estímulo à maior concorrência nas licitações com pregão eletrônico.

 

 

 

Deixe seu comentário: