Educação de Canoinhas divulga Plano de Contingência de volta às aulas presenciais


Divulgação/Pixabay

Medidas só serão tomadas no ano que vem e quando houver segurança indicada por autoridades de saúde

 

 

Nesta quinta-feira, 19, a Secretaria de Saúde de Canoinhas divulgou o Plano de Contingência para retorno das aulas presenciais no município. O documento, de 93 páginas, foi elaborado pelo Comitê Municipal de Retorno das Aulas Presenciais e de Gerenciamento da Pandemia de Covid-19 de Canoinhas, composto por diferentes segmentos da sociedade e envolvidos na Educação do Município e que orientará as Unidades Educacionais nas definições de seus plano e protocolos específicos.

 

 

 

No entanto, o documento explica que o retorno das atividades presenciais nas Unidades Educacionais, quer sejam públicas, privadas, comunitárias, confessionais ou outras, independente da modalidade de ensino, somente será possível mediante a anuência das autoridades sanitárias e a homologação do Plano de Contingência Escolar pelo Comitê Municipal de Gerenciamento da Pandemia de Covid-19, o que deve ocorrer somente em 2021. O Plancon-Edu/Escolar deve apresentar ações e estruturas adequadas que garantam o retorno seguro de estudantes, servidores e de toda comunidade escolar.

 

 

 

O Plano, de acordo com o documento,  está alinhado com as metodologias para elaboração de Planos de Contingência de Proteção e Defesa Civil de Santa Catarina e as orientações nacionais e internacionais (nomeadamente, Ministério da Saúde e Organização Mundial de Saúde, bem como Secretarias de Estado de Saúde e de Educação). O conjunto de medidas e ações deverão ser adaptados para cada situação municipal (ou regional) e para cada Escola e aplicadas de modo articulado, em cada fase da evolução da epidemia.

 

 

 

Canoinhas tem atualmente 61 unidades escolares, sendo 40 municipais, 13 unidades estaduais, uma federal (Instituto Federal de Santa Catarina – Câmpus Canoinhas) e mais sete unidades privadas de ensino. Além das escolas, a contagem inclui também os Centros de Educação Infantil. Os dados apontam que o município de Canoinhas possui 13.507 estudantes da rede de educação básica, incluindo os alunos da educação inclusiva, e um total geral de 1.779 servidores nas esferas municipal, estadual, federal e privada.

 

 

 

 

NÚMERO DE ESTUDANTES EM CANOINHAS

ESFERA/ ÁREAEDUCAÇÃO INFANTILENSINO FUNDAMENTAL IENSINO FUNDAMENTAL IIEJAENSINO MÉDIO 1TOTAL
MUNICIPAL255020801597706297
ESTADUAL1429165715426875927
FEDERAL461461
PRIVADA33521817594822
TOTAL GERAL13507

 

 

 

 

 

 

 

NÚMERO DE PROFISSIONAIS QUE TRABALHAM NA EDUCAÇÃO EM CANOINHAS

ESFERA/ ÁREAPROFESSORESPROFISSIONAIS DA LIMPEZA/MERENDADEMAIS PROFISSIONAISTOTAL
MUNICIPAL448151341940
ESTADUAL4665760583
FEDERAL53642101
PRIVADA1051337155
TOTAL GERAL1779

 

 

 

 

 

A rede estadual de ensino possui 1098 alunos que utilizam o transporte coletivo, e 323 alunos cujas conduções são realizadas pelo município, em especial para as extensões da EEB Almirante Barroso, EEB Irmã Maria Felicitas e EEB Manoel da Silva Quadros.
A rede federal de ensino possui aproximadamente 150 alunos que utilizam vans e oito alunos que utilizam o transporte coletivo, estes últimos são da área rural do município.
A rede municipal de ensino faz o transporte de 2.225 alunos. Já a rede privada de ensino possui 755 alunos que utilizam condução própria, e 67 alunos que utilizam transporte escolar terceirizado (sem vínculo).

 

 

 

 

 

 

CONFIRA AS PRINCIPAIS AÇÕES DO PLANO DE CONTINGÊNCIA

  • Higienização das mãos de todos os membros da comunidade escolar na entrada da Unidade Educacional, entradas dos pavilhões, refeitórios, banheiros e áreas de circulação. Ação deverá ser permanente, por um monitor de medidas preventivas. Deve haver sinalização e avisos escritos nos locais e a disponibilização de totens.
  • Permitir a entrada somente de pessoas com máscara no hall e controle durante todo o período.
  • Uso obrigatório de máscaras para professores e alunos em todas as unidades educacionais. As máscaras deverão ser trocadas no horário do intervalo (cada
    duas horas).
  • Protocolos e orientações claras quanto a utilização e descarte da máscara de pano e descartável. Prestar atenção na Educação Física, por exemplo. Colocar estas
    máscaras em saquinhos plásticos limpos, especificar onde deve-se colocar as
    máscaras no horário do lanche. Constar o descarte correto dos materiais.
  • Demarcação de espaços, 1,5 metro entre cada aluno, evitando aglomerações e 2 metros nos espaços abertos.
  • Aferição de temperatura de toda comunidade escolar, não permitindo a
    entrada de pessoas com temperatura acima de 37,8ºC.
  • Isolamento de casos suspeitos. A partir da aferição de temperatura; também a partir da manifestação de demais sintomas compatíveis com covid-19. Deve haver uma sala específica para acomodação do indivíduo, não permitindo que fiquem dois ou mais suspeitos, isolados no mesmo espaço simultaneamente. Devendo ser acompanhado por um monitor previamente paramentado (luvas, máscara, protetor facial e avental descartável).
  • Rastreamento de contatos. Identificar os contatos com
    casos confirmados e afastá-los preventivamente.
  • Intensificar a higienização dos banheiros; seguindo protocolos sanitários.
  • Manter ambientes arejados em toda a unidade educacional, através de ventilação natural, evitando ventiladores e ar condicionados.
  • Protocolos sanitários voltados aos espaços destinados à alimentação. Propiciar que os alunos façam suas refeições em espaços que lhes permitam respeitar o distanciamento mínimo e demais protocolos sanitários.
  • Pensar em ações para dia de chuva. Definição de estratégias de
    acordo com a realidade de cada Unidade Escolar e espaços disponíveis.
  • Readequar o espaço físico para cumprir o distanciamento de 1,5 m entre os alunos. Demarcação das carteiras, através de um mapa de sala, protocolo do Estado. Sugestão: que as carteiras utilizadas num período não sejam utilizadas no outro turno. Caso necessário, que a correta higienização seja efetuada, observando o material da carteira (exemplo: para carteiras de madeira o álcool não basta – o ideal seria lavá-las com água e sabão ou água sanitária)
  • Não-utilização de bebedouros. Lacrar bebedouros e solicitar que cada aluno traga a sua garrafinha de água.
  • Descontaminação dos ambientes comuns. Descontaminar todos os materiais utilizados e disponíveis no ambiente (exemplo: brinquedos, trocadores, lixeiras). Antes e durante a utilização dos mesmos.
  • Retorno dos alunos da Educação Especial. Cada Unidade Escolar deve
    averiguar o potencial retorno, em conjunto com as famílias dos alunos e de parecer médico ou de equipe multiprofissional.
  • Retorno dos alunos da Educação Infantil. Somente com a liberação
    da Secretaria de Saúde. O retorno deverá ser de forma gradual, escalonada.

 

 

 

 

 

MEDIDAS PEDAGÓGICAS

  • Capacitação da equipe de professores para utilização da plataforma Google For Education e suas ferramentas e para realização de metodologias ativas;
  • Adequar as metodologias pedagógicas e implementar estratégias que garantam o acesso a aprendizagem dos alunos Reorganização do calendário escolar previsto para os anos letivos 2020/2021;
  • Assegurar organização curricular – manutenção e garantia da aplicação dos elementos curriculares estabelecidos;
  • Escalonamento – desmembramento de turmas com retorno de alunos conforme a estrutura da Unidade Escolar;
  • Dissolução: ambientação para o novo contexto escolar;
  • Garantir o planejamento de avaliação formativa, diagnóstica e inclusiva, assim como a elaboração dos instrumentos voltados às atividades pedagógicas;
  • Prever a necessidade de apoio psicossocial a estudantes, familiares e profissionais da educação;
  • Transição do ensino remoto para o ensino híbrido Adequar o planejamento pedagógico garantindo as aprendizagens essenciais para a formação acadêmica e construção do projeto de vida dos estudantes;
  • Promover o aprimoramento ou aquisição das TICs nas propostas pedagógicas;
  • Orientação referente aos métodos de prevenção para a não transmissão do vírus,
    voltada à comunidade escolar;
  • Orientação referente aos métodos de prevenção para a não transmissão do vírus,
    voltada à comunidade escolar;
  • Adotar estratégias eficientes para recuperação da aprendizagem, principalmente dos estudantes em risco de trabalho infantil, violência doméstica e vulnerabilidades sociais.

 

 

 

 

 

 

 

ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

  • Atualização do Manual de Boas Práticas de Manipulação e dos Procedimentos
    Operacionais Padronizados, para adequação ao combate à disseminação da
    covid-19;
  • Formação e treinamento dos manipuladores de alimentos quanto aos  procedimentos atualizados, de recebimento dos alimentos, produção de
    refeições, servimento e distribuição da alimentação escolar, assim
    como de procedimentos higiênicos sanitários pessoal, ambiental, de equipamentos e utensílios, de forma combater a disseminação da
    covid-19;
  • Orientação dos profissionais das Unidades Educacionais, assim como dos
    alunos a não partilharem alimentos e utensílios. Adequação do servimento e
    distribuição das refeições/lanches, de acordo com as estruturas físicas, equipamentos e utensílios das Unidades Educacionais. O bufê de alimentos
    não deverá ser utilizado diretamente pelos alunos (autosserviço de bufê); assegurando a disposição que proporcione o distanciamento mínimo de 1,5
    metro entre os alunos e profissionais escolares, no momento das refeições;
  • Organização de procedimento operacional padronizado ou orientação às
    famílias com relação as refeições em Unidades Educacionais privadas/públicas,
    onde o aluno traz o lanche de casa;
  • Higienização dos alimentos e de suas embalagens, no momento da entrega pelos fornecedores na Unidade Educacional;
  • Elaboração de cronogramas alternados para refeições e distribuição de lanches.
  • Disponibilização de uniformes e de equipamentos de proteção individual (EPIs) para equipe responsável pela produção, manipulação e servimento dos alimentos.
  • Fiscalização e acompanhamento das ações da alimentação escolar na Unidade
    Educacional;
  • Atendimento aos requisitos definidos na Portaria SES no. 256 de 21/04/2020, ou
    outros regulamentos das Unidades Educacionais que dispuserem de cantinas, lanchonetes, restaurantes ou espaços equivalentes a praças de alimentação, de
    forma terceirizada.

 

 

 

 

 

 

TRANSPORTE ESCOLAR

  • Limitação de lotação;
  • Adequação da frota;
  • Ventilação no interior do veículo;
  • Uso obrigatório de máscara;
  • Aferição de temperatura;
  • Demarcação de distanciamento;
  • Regras de higienização;
  • Uso obrigatório de máscara.

 

 

 

 

 

Medidas voltadas aos prestadores de serviços

  • Medidas se houve apresentação de sintomas de síndrome gripal e/ou convivam com pessoas sintomáticas, suspeitas ou confirmadas da covid-19;
  • Higienização.

 

 

 

 

 

 

CONFIRA O DOCUMENTO NA ÍNTEGRA

 





Deixe seu comentário: