Beto Passos precisa explicar que parte população perdeu do ‘sai e volta’ de secretário

Machado (D) com o presidente da CDL Canoinhas, Sirineu Novack/Divulgação

Paulo Machado chegou a se despedir no rádio; na sexta-feira, sem qualquer explicação, ele e o prefeito decidiram por sua permanência no cargo

 

 

SAI E VOLTA

Prefeito Beto Passos (PSD) precisa vir a público explicar o que aconteceu na semana passada que nem imprensa nem a população conseguiu acompanhar. Com uma declaração lacônica, Passos disse no programa Repórter 98, da 98FM, que o secretário de Desenvolvimento Econômico, Paulo Machado, deve permanecer no cargo. Isso quatro dias depois de o próprio Machado se despedir do cargo em entrevista ao programa Fala Cidade, também da 98FM.


 

A própria assessoria de imprensa da prefeitura produziu release mostrando a despedida do secretário. Depois o texto desapareceu misteriosamente.

 

Perguntado sobre os motivos que o levaram a ser reintegrado ao cargo, Machado usou da soberba para dizer que talvez dê entrevista a outro veículo de imprensa explicando as razões. Algum chapa branca, certamente.

 

Como a coluna apurou e publicou no sábado, 16, o desligamento de Machado foi costurado pelo próprio prefeito. O combinado seria que Machado se demitiria, o que de fato aconteceu. A ideia era evitar rumores.

 

Se a divulgação indesejada por parte da coluna ou fator obscuro provocou a mudança de rumo não se sabe, mas seria bem prudente que Passos viesse a público para explicar o que aconteceu. Tratar uma relação entre funções públicas como se fosse uma relação de empresa privada é uma péssima forma de despertar rumores e insinuações.

 

Somente uma comunicação clara e objetiva consegue dissipar qualquer rumor.

 

 

OPÇÃO

No vácuo da decisão de reintegração de Machado ao cargo, o vereador Edmilson Verka (PR) chegou a ser cogitado para retornar ao cargo que exerceu no governo de Beto Faria (MDB). Hoje Verka ocupa suplência na Câmara.

 

 

OPOSIÇÃO TRESBARRENSE

Vereador Marco Antonio de Souza (MDB) tem se destacado como oposição incansável ao prefeito Luiz Shimoguiri (PSD). Tem criticado o prefeito pelo que chama de “obras eleitoreiras”como a construção de uma escola e melhoria no sistema viário da cidade. Critica o prefeito por estar fazendo um empréstimo para obras de pavimentação, afirmando que em Três Barras “sobra dinheiro” porque é uma das cidades que proporcionalmente mais faturam no Estado.

 

Souza tem lá sua razão, mas fica difícil corroborar sua narrativa de “obras eleitoreiras” quando se está no início do terceiro ano de mandato. Shimoguiri frisou ao longo dos últimos dois anos, provando inclusive com faturas herdadas do governo anterior, que estava pagando contas. Seria uma estupidez parar de trabalhar no meio do mandato porque a população pode ver tudo que fizer a partir de agora como eleitoreiro.

 

Se o que ele promete agora só se concretizar de fato em 2020 as acusações de Souza têm fundamento. Souza não participou da reunião na qual o prefeito anunciou seu plano de investimentos. Foi o primeiro a criticar em público, no entanto. Desperdiçou a chance de confrontar Shimoguiri frente à frente. Dessa forma poderia contribuir mais com o debate.

 

Se Souza não se perder na obsessão por constranger o governo, pode se revelar um bom quadro para a disputa em 2020.

 



 

FOGO AMIGO

A disputa em 2020 em Três Barras promete ser uma das mais acirradas da história. Souza já iniciou o discurso surrado de que se for da vontade do partido será um soldado etc, mas ele tem sido municiado por dois peixes grandes, que podem devorá-lo antes que ele tome conhecimento da fritura. Elói Quege (PP) e Emilio Gazaniga (PP) estão ávidos para voltar à disputa.

 

 

RETIDA

Está suspensa a licitação para construção da penitenciária de São Bento do Sul. Um recurso administrativo fez com que a comissão determinasse a paralisação. A abertura das propostas aconteceria na sexta passada.

 

 

ALBA EM CANOINHAS

Na sexta-feira, 22, esteve em Canoinhas deputado estadual Ricardo Alba (PSL), que recebeu uma pauta de reivindicações da comunidade. São elas:

1- Redução da Máquina Pública

Foi exigido do governo a retirada imediata das instituições estaduais e extinção de cargos comissionados que não têm necessidade. Priorizando a saída de comissionados ligados aos governos anteriores e partidos de esquerda.

2- Recuperação da SC-477

Uma luta antiga da região, uma demanda que foi entregue ao deputado, alertando-o que seremos persistentes nessa luta.

3- Pagamento ao HSCC

O Estado possui uma grande dívida com o Hospital, devido a falta de pagamentos de serviços.

4- SC-120

Essa é uma nova demanda da região para ligar Canoinhas a Timbó Grande.

5- Ferrovias

Foi repassado ao deputado que temos uma estrutura ferroviária completa e desativada para conectar o Litoral ao Oeste Catarinense. Economizando recursos e acelerando processos.

6- Incentivos para Industrialização

Repassou-se ao deputado que a região possui o menor IDH do Estado, que no passado fomos a região mais rica, mas fomos empobrecidos por tributos que nunca retornaram.

7- Demanda Energética

Foi sugerido o maior aproveitamento do nosso potencial energético com a redução de burocracia para a construção das pequenas centrais hidrelétricas e incentivos para que os agricultores façam uso de energia renovável com fontes solares e resíduos de suínos.

 

 

 

 

Deixe seu comentário: